Sidebar

15
Sáb, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Uma edição especial da revista Mulher de Classe já está nas redes e nas ruas, destacando na capa a batalha por mais mulheres na política brasileira. 

A pouco mais de três semanas das eleições, a revista é mais uma ferramenta de luta para as sindicalistas da CTB, que estão em campanha em todo o país em defesa de candidatos e candidatas comprometidas(os) com os direitos da classe trabalhadora e também defendendo as próprias candidaturas. 

Nestas eleições, pelo menos 17 candidatas cetebistas estão na disputa de cargos no legislativo e no executivo em nove estados e no Distrito Federal. 

A publicação Mulher de Classe é uma iniciativa da CTB realizada em parceria pelas secretarias da Mulher Trabalhadora, dirigida por Celina Arêas, e de Imprensa e Comunicação, dirigida por Raimunda Gomes (Doquinha). 

Esta edição especial reúne o perfil de todas as candidatas da CTB e artigos de dirigentes sindicais cuja atuação se volta para a defesa dos direitos da mulher. Saúde, gênero, segurança no trabalho, racismo, juventude e trabalho rural são temas abordados pelas sindicalistas.

A revista traz ainda uma entrevista com a presidenta interina do Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro, Alexsandra de Carvalho, em que ela fala do desafio em comandar uma entidade, majoritariamente masculina, e que representa uma categoria de mais de 400 mil trabalhadores e trabalhadoras. 

Apresenta também parlamentares que têm atuação reconhecida no Congresso e que iniciaram suas carreiras políticas no sindicalismo (como Vanessa Grazziotin e Fátima Bezerra, entre outras), reforçando a importância do trabalho de base e da atuação sindical na formação de lideranças políticas. 

O papel de Manuela D'Ávila como candidata à vice-presidenta na chapa de Fernando Haddad (que substituiu Lula na disputa) também é destaque na edição. O crescimento da candidata desde o início da pré-campanha eleitoral, quando ela ainda disputava a presidência, é uma referência para a juventude e as mulheres que veem na liderança uma promessa de renovação política.

Como afirma Celina Arêas em editorial, tirar o Brasil do vergonhoso 154º lugar no ranking mundial da participação feminina em cargos políticos é fundamental.

"Para avanços em áreas essenciais é preciso ter mais presença feminina em cargos de decisão em todos os setores", afirma a dirigente.

Este é um dos grandes desafios das Eleições 2018 e é responsabilidade de todas(os) que representam os setores progressistas da sociedade trabalharem contra o golpe e o retrocesso que se instalaram no país. A edição especial "Mais Mulheres na Política" é uma contribuição para esta luta. Boa leitura!

Acesse aqui a revista e leia, compartilhe e divulgue! 

Portal CTB

 

 

 

 

 

0
0
0
s2sdefault