Sidebar

11
Ter, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Dirigentes da Confederação Nacional dos Trabalhadores Liberais Universitários Regulamentados (CNTU) estiveram nesta quinta-feira (23) na sede da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) para apresentar o projeto Brasil 2022 - O país que queremos.

Em parceria com suas federações e sindicatos, a CNTU está organizando um grande evento para o bicentenário da Independência do Brasil, que será comemorado em 2022, visando mobilizar as entidades e os movimentos sociais na construção de uma plataforma de prioridades para o futuro do país.  

O diretor de articulação nacional da CNTU, Allen Habert, afirmou que o projeto terá três eixos fundamentais que serão articulados com a ampla participação de múltiplas organizações e entidades qeu tenham em comum o objetivo de fomentar o desenvolvimento econômico, político, social, educacional, cultural e ambiental no Brasil.

O secretário de Formação e Cultura da CTB, Ronaldo Leite, destacou a importância de estreitar laços com a CNTU. "O projeto terá todo apoio e solidariedade da central, que levará a proposta da confederação para ser debatida em seus fóruns regionais, já que a iniciativa terá uma abrangência nacional", disse o dirigente. 

Entre as atividades previstas no Brasil 2022, estão: promover debates sobre áreas estratégicas, como a universalização do serviço público, o fortalecimento do sindicalismo, a valorização do trabalho, a democratização da economia e a melhora da educação; criar uma rede com participação de instituições e entidades para planejarem seus projetos afim de celebrar os 200 anos da independência, e realizar a Constituinte do Saber, através de conferências municipais nas principais cidades do país. 

Também estavam presentes na reunião o secretário-geral da CTB, Wagner Gomes, a secretária de Imprensa e Comunicação, Raimunda Gomes, a secretária geral da CTB-Piauí, Edna Moura, vice-presidenta do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Picos (Sindserm), e o secretário de relações internacionais, Nivaldo Santana.

Portal CTB -- Foto: Joanne Mota 

0
0
0
s2sdefault