Sidebar

11
Ter, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Após dois dias de reunião na Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF), em Guararema (SP), lideranças dos movimentos sociais e sindical de todo o país, convocados pela Frente Brasil Popular, lançaram as bases do Congresso do Povo.

O encontro aprofundou a análise da conjuntura nacional pós-condenação do ex-presidente Lula, elaborou um plano de luta e realizou um seminário inaugural do Congresso do Povo, um espaço criado para o debate e a busca de alternativas para a crise econômica e política instaladas no país.

Representantes dos 27 estados brasileiros e de dezenas de entidades participaram do evento. A CTB estava representada pelos dirigentes nacionais Rogério Nunes, Ronaldo Leite e Mônica Custódio. 

"A principal resolução do encontro foi a convocação do Congresso do Povo pela Frente Brasil Popular, por todos os municípios, todos os bairros, em todo o país, unificado por uma pauta que debate a conjuntura política e reivindicações de todos os trabalhadores, de todos os brasileiros", diz Nunes. 

A Frente Brasil Popular divulgou nota sobre o encontro e a urgência em resistir à ofensiva reacionária que avança no país desde o golpe contra Dilma Rousseff.

“Setores que sugam a Nação e em um ano, tiram recursos da educação, ciência e tecnologia, saúde e serviço social. Atacaram a Constituição Federal de 1988, a CLT com a reforma trabalhista, tiram direitos todos os dias. O próximo passo é o ataque à aposentadoria”, diz a nota.

E convoca: “Por isso, a Frente Brasil Popular conclama todos e todas que querem tornar o Brasil uma Nação forte, desenvolvida, independente com emprego e justiça social, ao engajamento na construção do Congresso do Povo Brasileiro, para debater o futuro do país e organizar nossas lutas”.

Confira abaixo o documento lançado pela Frente Brasil Popular:

Frente Brasil Popular convoca Congresso do Povo Brasileiro 

A Frente Brasil Popular convoca a população brasileira, em sua ampla diversidade, a debater os rumos do país por meio da construção do Congresso do Povo, que é uma ferramenta para a luta social no enfrentamento à ofensiva neoliberal e para discutir alternativas à crise brasileira.

A atual conjuntura é marcada por um golpe contra a democracia, contra os direitos das trabalhadoras e trabalhadores (que estão sob ataque com as reformas trabalhista e da Previdência) e contra a soberania nacional (com a entrega dos recursos naturais como petróleo, gás, água e território para o capital estrangeiro).

As condições de vida dos trabalhadores estão piorando, com aumento do desemprego, da precarização do trabalho, do aumento do custo de vida, a violência e a deterioração dos serviços públicos mais básicos.
Ao mesmo tempo, aprofunda-se a crise político-institucional no país, com a tentativa de retirar da eleição o ex-presidente Lula, primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto.
Tudo isso gera indignação e desesperança em meio ao povo brasileiro.

O desafio central do Congresso do Povo é envolver na luta em defesa dos direitos, da democracia e da soberania brasileiras e brasileiros que passam a maior parte do dia no trabalho, que buscam as mais diferentes formas de sobreviver sem uma atividade formal e regular, se desdobram para trabalhar e estudar, moram nas periferias de grande centros urbanos, em cidades médias ou em áreas rurais.

Com a organização das etapas locais, municipais, estaduais e nacional, o Congresso do Povo é um processo de luta e pedagogia de massas, a partir do trabalho de escuta das pessoas para estreitar laços e relações de confiança.
Assim, será uma obra da militância que demandará dedicação, animação e firmeza para desenvolver de forma sistemática atividades que envolvam todas as pessoas dispostas em discutir problemas e soluções para o Brasil.

O processo de construção deve contribuir para o avanço do nível de consciência das massas, dando a largada para uma ação de curto, médio e longo prazo de organização, formação e luta social, por meio da esperança militante e da luta por justiça social e igualdade.

As lutadoras e lutadores estão convocados a agitar, organizar e construir o Congresso do Povo em cada localidade, bairro e município deste grande Brasil, fortalecendo as lutas concretas e a resistência em defesa dos direitos, da democracia e da soberania.

Dessa forma, queremos com o nosso trabalho e compromisso militante acender a chama da luta para colocar o povo brasileiro em movimento para defender seus direitos, sua vida e seu país, apontar perspectivas e voltar a sonhar.

São Paulo, 2 de Fevereiro de 2018

Portal CTB

 

 

0
0
0
s2sdefault