Sidebar

11
Ter, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Desde a quinta-feira (5), lideranças e dirigentes do movimento sindical, líderes partidários e simpatizantes de todas as áreas estão indo à sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC para se solidarizar com o ex-presidente Lula, que recebeu na quinta (5) ordem de prisão para ser executada até às 17h desta sexta (6).

O senador Lindbergh Farias afirmou que Lula deverá ficar no Sindicato dos Metalúrgicos e que não irá para Curitiba. "Se quiserem prendê-lo será aqui". Mas a decisão ainda não havia sido tomada pelo ex-presidente Lula, que se encontra reunido com advogados e amigos. 

Prisão política 

O presidente da CTB, Adilson Araújo, o secretário-geral, Wagner Gomes, e o dirigente João Batista Lemos foram levar seu apoio a Lula e protestar contra mais este grave ataque ao campo progressista e popular.

"A prisão de Lula é política", sentencia Batista. "É com muita indignação que vejo isso. Vivemos um estado de exceção neste país". 

Para Araújo, a data é emblemática do dia em que se viu rasgar a constituição federal do país. "A prisão de Lula é levar à cadeia milhões de brasileiros. Convocamos todos a realizar uma vigília cívica em solidariedade ao melhor presidente da história de nosso país", diz Araújo. 

"As elites manobram o tanto que for necessário para prender um símbolo da luta de resistência de nosso povo", diz Wagner Gomes.

Assista às entrevistas: 

 

 

Portal CTB com informações de Joanne Mota

0
0
0
s2sdefault