Sidebar

09
Dom, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

“O debate dos projetos de cada candidato no segundo turno da eleição presidencial deste ano deve ser feito para sabermos exatamente no que estamos votando”, analisa Ivânia Pereira, vice-presidenta da CTB.

Ao examinar os projetos em disputa, reforça Ivânia, “vemos de um lado a defesa da reforma da previdência proposta por Michel Temer, ou seja, o fim da sua aposentadoria”. E de outro, "a defesa do trabalho com justiça social e aposentadoria digna", conclui.

á o candidato das forças populares, Fernando Haddad defende “a proposta de equilibrar as contas da Previdência através da criação de empregos com carteira assinada”, acentua.

A sindicalista sergipana, aponta que o projeto de Jair Bolsonaro é a reforma de Temer ainda piorada e as trabalhadoras e trabalhadores ficarão sem aposentadoria. 

Como mostra a colunista Sonia Racy, do jornal O Estado de  S. Paulo, no dia 23 de setembro, Paulo Guedes, homem forte do candidato da extrema-direita, declinou apoio à reforma da previdência defendida por Michel Temer ainda neste ano. “Se ele fizer isso, e é bom para ele fazer isso, o avião que vamos pegar não cai na minha cabeça”, disse Guedes em uma reunião com empresários em São Paulo.

 guedesprev

Ivânia conta que a reforma trabalhista, pela qual o candidato da extrema-direita votou a favor, já acabou com o emprego com carteira assinada. “Depois da eleição, caso eles vençam, vão liquidar de vez com a aposentadoria e com o trabalho formal”.

Para ela, o Brasil precisa voltar a crescer, com valorização do trabalho e da renda. “Trabalho com carteira assinada e aposentadoria garantida para uma vida digna na velhice”.

Portal CTB

0
0
0
s2sdefault