Sidebar

13
Qui, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Entre janeiro e setembro de 2018, os bancos que atuam no Brasil demitiram 24.025 trabalhadores e contrataram outros 22.284 para funções semelhantes, só que com salários menores. É o que mostra levantamento realizado pelo Dieese com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). 

A diferença salarial entre os demitidos e as contratados chega a 88,1% nos bancos múltiplos sem carteira comercial. Nos bancos comerciais com carteira comercial, onde estão incluídos o Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e Santander, os novos contratados recebem 65,1% a menos do que os demitidos. Na Caixa, a diferença é de 45,5%.

Enquanto isso, o lucro líquido registrado pelo Itaú no terceiro trimestre deste ano, de R$ 6,247 bilhões, é o terceiro maior já registrado por um banco brasileiro, segundo dados da provedora de informações financeiras Economatica.

O resultado fica atrás apenas do registrado pelo Banco do Brasil no segundo trimestre de 2013 (R$ 7,47 bilhões), e pelo próprio Itaú no segundo trimestre deste ano (R$ 6,247 bilhões).

Segundo informações da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe (Feebbase), os bancos seguem fechando vagas de trabalho, foram 1.741 empregados a menos no mesmo período. 

Os estados que mais perderam vagas foram Rio de Janeiro (-744), Paraná (-302) e Distrito Federal (-207). Em Sergipe, foram fechados 56 postos de trabalho, enquanto a Bahia ganhou 46 novas vagas no período.

Portal CTB com Feebbase

 

0
0
0
s2sdefault