Sidebar

11
Ter, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (foto), admitiu nesta terça (6) que não há votos para aprovar a reforma da Previdência em fevereiro, mas que o governo vai insistir na votação ainda neste mês. São necessários 308 votos para aprovação da proposta na Câmara.

"Não conseguimos sensibilizar o número de deputados dispostos a fazer o necessário", disse o ministro, em café da manhã promovido pela Associação Brasileira de Relações Institucionais e Governamentais (Abrig).

A declaração do ministro se dá em dia de protestos em aeroportos em diversas capitais brasileiras ao longo da manhã. Durante a tarde também estão programados atos na Câmara dos Deputados, em Brasília. 

O relator da reforma,  deputado Arthur Maia (PPS-BA), já declarou que se não votar a reforma este mês "não vota mais’. E o presidente Michel Temer afirmou hoje que não é possível discutir reforma da Previdência "o ano inteiro".  

Marun tinha afirmado ontem que aprovar a proposta “não é uma missão impossível” e voltou a dizer que o governo ainda precisa de 40 votos favoráveis à proposta.

Segundo Marun, há políticos que "falam mal da reforma de dia e à noite rezam para que seja aprovada". Ele também criticou decisões judiciais, disse que há falta de credibilidade da política hoje, mas também no Judiciário. Deu como exemplo o fato do ex-presidente Lula estar condenado e aparecer em primeiro lugar nas pesquisas de opinião para presidente da República.

Portal CTB com O Globo

0
0
0
s2sdefault