Sidebar

17
Qua, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Com alto índice de violência, flexibilizar o porte a posse de armas no Brasil é um tiro no pé. Depois do Senado derrubar o decreto de Bolsonaro, é a vez de a Câmara Federal votar. A pressão da sociedade neste momento é fundamental. 

A forte possibilidade de a medida ser revogada por definitivo deixa a população esperançosa. Se possuir armas em casa já é perigoso, principalmente para as mulheres, imagina se o porte for liberado.

Nos últimos seis anos, 6.393 mulheres morreram vítimas de feminicídio. Em 2018, a taxa aumentou em 30%. O Brasil é o primeiro país no mundo que mais mata por arma de fogo. De 1990 a 2016, foram 43.200 mortes, de acordo com o Global Mortality From Firearms. 

Ou seja, uma possível aprovação de porte de armas ocasionará em um derramamento de sangue ainda maior. Além das mulheres, sobre tudo as negras, os mais afetados serão os jovens negros e de baixa renda.

 

com informações de bancariosbahia.org.br

0
0
0
s2sdefault