Sidebar

24
Qua, Abr

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Uma massa de trabalhadores e trabalhadoras deve ocupar as ruas de todo o país, nesta quarta-feira (2), em atos convocados pela Frente Brasil Popular (FBP), para pressionar os deputados e deputadas a acolher a denúncia de corrupção passiva contra Michel Temer.

São necessários 342 votos para que a Câmara dos Deputados vote pela aceitação da denúncia da Procuradoria Geral da República.

Caso a Câmara aprove, a denúncia tramitará no Supremo Tribunal Federal (STF), que decidirá se acata ou não. No primeiro caso, Temer se tornaria réu e seria afastado da presidência assumindo o presidente da Câmara.

“Compra de votos, liberação de emendas, cargos tudo isso está explícito pelos aliados do governo, que se mantém no poder à revelia da vontade popular”, afirmou o presidente da CTB, Adilson Araújo.

adilson araujo presidente da ctb nacional

Os movimentos social e sindical se mantêm vigilantes e denunciam o vale-tudo instalado no Congresso Nacional. “O exercício da pressão que decorre das manifestações que vão acontecer amanhã (2) deve ser feito através das redes sociais, no contato com os deputados e com a pressão nas ruas”, afirmou Adilson.

Para Adilson, esse é o caminho do movimento social e sindical. "Estar vigilante e ganhar corações e mentes para recuperar o estado de direito no pais".

A FBP também orientou as entidades que fazem parte do movimento para instalarem telões em locais públicos para que a população acompanhe o voto de cada um dos deputados.

Além da pressão da população nos Estados e da oposição no plenário da Câmara, os deputados com tendência a votar com Temer serão pressionados do lado de fora do Congresso. Movimentos sociais preparam protesto na Esplanada dos Ministérios à tarde.

Atos Brasil afora

Em Salvador (BA) e no Rio de Janeiro (RJ) também acontecerão vigílias com o mote Fora Temer e Diretas Já. O presidente da CTB Bahia, Pascoal Carneiro, afirmou que os atos de rua de agosto devem intensificar a luta pelas diretas já e pela revogação da reforma trabalhista. Atolado em denúncias, Temer sancionou a reforma trabalhista.

“Precisamos ir às ruas pedir que deputados votem para dar continuidade do processo no poder judiciário. Por isso, contamos com a presença de todos no dia 02 na vigília na Praça da Piedade, vamos dizer Fora Temer e Diretas Já”, convocou.

Adilson Araújo afirmou que o desafio do movimento sindical é que o repúdio das pesquisas se some ao repúdio nas ruas. “Será muito necessário o repúdio da população na rua contra esse governo mergulhado em um grave esquema de corrupção.”

Segundo o Ibope, 8 em cada dez brasileiros apoiam a abertura do processo contra Temer. Segundo os entrevistados quem apoiar a rejeição da denúncia é "cúmplice da corrupção".

De acordo com Adilson, “ao adotar a subtração dos investimentos sociais e diretos da classe trabalhadora seria de alto e bom som que ele (Temer) pudesse ter o seu fim decidido pelos deputados no sentido de que possa responder pelos erros que cometeu contra nação”.

Em São Paulo, a vigília será realizada na avenida Paulista, em frente ao prédio da presidêncida República, a partir das 15h. Confira abaixo os atos confirmados nos estados

Vigília em Brasília (DF)

17h na Esplanada dos Ministérios

Vigília no Rio de Janeiro (RJ)

16h na Cinelândia

Vigília em São Paulo (SP)

15h em frente ao prédio da Presidência da república na Avenida Paulista

Vigília em Salvador (BA)

15h praça da Piedade – Centro de Salvador

ba diretas ja

 

Portal CTB com informações do Vermelho

0
0
0
s2sdefault