Sidebar

14
Sex, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Ao coro de “se privatizar o Brasil vai apagar”, deputados e trabalhadores do sistema Eletrobras participaram do lançamento da Frente Parlamentar em Defesa das Distribuidoras de Energia Elétrica, ameaçadas pelo pacote de privatizações do governo. Durante o ato, também foi apresentado um requerimento com 260 assinaturas do Projeto de Decreto Legislativo (PDC) 948/01, originário do Senado, que condiciona a privatização da estatal a referendo popular.

Michel Temer está entregue ao mercado estrangeiro, e suas intenções ficam cada vez mais claras. No início do mês, foi aprovada a privatização das distribuidoras Cepisa, Ceal, Eletroacre, Ceron, Boa Vista Energia e Amazonas Distribuidora. O governo pretende arrecadar R$ 600 mil reais com a ação, ou seja, cada estatal será entregue pelo preço irrisório, sem nenhum passivo, de R$ 50 mil.

Referendo popular

No passado, a população não foi consultada para decidir sobre a venda das estatais, mas foram os consumidores que arcaram com os impactos da privatização. Agora, o destino da Eletrobras poderá ser decidido pela população brasileira, se aprovado o PDC 948/01.

O deputado Danilo Cabral (PSB-PE), um dos responsáveis pela coleta das assinaturas, ressaltou que o projeto já está apto a ir ao Plenário. No entanto, é necessário intensificar o número de apoiadores e depois lutar para que a matéria seja incluída na pauta. Cabral ainda informou que pesquisas recentes apontam que a cada dez brasileiros, sete se posicionam contra a privatização do setor elétrico. 

“Dentro desse contexto, é importante o povo decidir. Considerando a relevância da luta pela afirmação da soberania, pela defesa do patrimônio brasileiro, entendemos que essa decisão tem que ser compartilhada com o povo”, esclareceu o deputado.

Fonte: STIU/DF

0
0
0
s2sdefault