Sidebar

13
Qui, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) trimestral divulgada nesta quinta-feira (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela que há no Brasil hoje 27,6 milhões de desempregados. 

A taxa de subutilização da força de trabalho ficou em 24,6 % no 2º trimestre de 2018 e o grupo de trabalhadores subutilizados reúne os desempregados, aqueles que estão subocupados (menos de 40 horas semanais trabalhadas), os desalentados (que desistiram de procurar emprego) e os que poderiam estar ocupados, mas não trabalham por motivos diversos.

A pesquisa trouxe um novo dado que agrava o cenário do emprego no país: registrou número recorde de brasileiros buscando trabalho sem encontrar há mais de dois anos.

São 3,1 milhões de brasileiros que procuram recolocação no mercado de trabalho há mais de 2 anos - o que corresponde a cerca de 24% do total de desempregados no país, que ficou em 13 milhões no 2º trimestre.

Proporcionalmente, Amapá é o estado que tem a maior população de desempregados procurando emprego há mais de 2 anos. Lá, 49,3% dos desempregados estão nesta condição. Em São Paulo, são 830 mil desempregados nesta condição, o que corresponde a 24,2% deste contingente.

Desalento

O número de "desalentados", que desistiram de procurar emprego, também é recorde: atinge 4,8 milhões de pessoas e é superior ao primeiro trimestre de 2018, que foi de 4,6 milhões.

"O resultado ficou estatisticamente estável em relação ao primeiro trimestre de 2018 (24,7%) e subiu na comparação com o segundo trimestre de 2017 (23,8%)", destacou o IBGE.

Portal CTB com agências 

0
0
0
s2sdefault