Sidebar

14
Sex, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Nesta quinta-feira (7), Luiza Bezerra, secretária da Juventude Trabalhadora, discursa pela CTB no 29º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (BB). “A nossa campanha salarial acontece num contexto de mais de 10 anos de crise do capitalismo”, diz.

O congresso ocorre em São Paulo e é um preparativo para a 20ª Conferência Nacional dos Bancários que começa nesta sexta-feira (8) e termina no domingo. Luiza defende a unidade da classe trabalhadora para superar os ataques do capital, mas “uma unidade que não se restrinja aos discursos, uma unidade concreta”.

A bancária gaúcha complementa seu raciocínio afirmando que nessa conjuntura “vemos os direitos da classe trabalhadora sendo atacados em todo o mundo. Vemos uma onda conservadora, ultraliberal, querendo jogar o ônus da crise somente sobre nossas costas”.

Cita ainda a política de privatização do governo golpista. Porque estão na mira dos privatistas todas as estatais, inclusive o Banco do Brasil, mesmo que pesquisa recente do Vox Populi, mostre que 60% das brasileiras e brasileiros são contrários à venda do BB.

“Com o golpe de 2016, temos visto a implementação de uma agenda contrária aos interesses nacionais e da classe trabalhadora”, analisa. “Vemos o congelamento por 20 anos dos investimentos públicos, o que impacta de maneira mais severa a população mais pobre e o conjunto da classe trabalhadora”.

Em seu discurso de pouco maios de três minutos, Luiza teve condições de lembrar da reforma do ensino médio, que “visa formar jovens apenas para o mercado de trabalho, sem formar uma consciência cidadã, facilitando a cooptação para as propostas da burguesia”.

A sindicalista critica ainda a terceirização ilimitada e a reforma trabalhista como “os maiores retrocessos para a vida de quem vive da venda de sua força de trabalho”. Ela conclui citando o encontro das centrais sindicais que divulga uma Agenda Prioritária da Classe Trabalhadora.

“O documento unitário das centrais sindicais apontou os principais pontos para o desenvolvimento do país, para o retorno do crescimento e para a retomada dos direitos sociais com valorização do trabalho”, finaliza.

Portal CTB

0
0
0
s2sdefault