Sidebar

21
Qui, Mar

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) ocuparam nesta quarta-feira (1º) o hall do escritório da Presidência da República, na avenida Paulista, em São Paulo, contra a revogação do programa Minha Casa, Minha Vida.

Veja como foi a ocupação pacífica:

 

Logo veio a repressão. A Polícia Militar do estado mostra mais uma vez suas garras e com excessiva violência reprime a manifestação em defesa da moradia. “A periferia não pode vir na Paulista que recebe bombas, gás de pimenta e repressão”, diz Guilherme Boulos, coordenador do MTST.

De acordo com os manifestantes, 8 pessoas foram detidas, sendo uma mulher e com extrema violência. Também afirmam que quando um rapaz estourou um rojão, os policiais partiram para cima dele espancando-o, por isso, "as pessoas foram acudir porque o espancamento continuou mesmo depois da imobilização", lembra Boulos.

Acompanhe a violência da PM paulista:

Como a manifestação se mostrou forte e os integrantes do MTST prometeram “não arredar o pé” da ocupação enquanto o Minha Casa, Minha Vida não fosse retomado, o ministro interino das Cidades, Bruno Araújo, determinou na noite desta quarta-feira (1º) "a edição de nova portaria que divulga as entidades para contratação de unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida, modalidade Entidades."

Essa decisão é mais um recuo do governo Temer. No dia 17 de maio, o governo golpista revogou as portarias da presidenta Dilma para a contratação de unidades do programa habitacional, prometendo estudar novidades no programa, mas na verdade era o fim do Minha Casa, Minha Vida, não fosse a reação liderada pelo MTST.

Portal CTB com agências - Foto: Alice V/Democratize

 

0
0
0
s2sdefault