Sidebar

11
Ter, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Dá para imaginar torcedores de Palmeiras e Corinthians; Grêmio e Internacional; Cruzeiro; São Paulo; Santos; Bahia e Vitória; Flamengo e Vasco; Santa Cruz e Sport Recife e Náutico, entre muitos outros clubes rivais em campo, se unirem? Para defender a democracia e os interesses do país e de quem trabalha, sim.

O fato aconteceu em torno da candidatura de Fernando Haddad que neste momento representa a democracia, a paz, o amor contra o ódio e a violência do outro candidato.

O manifesto assinado por 69 torcidas organizadas de clubes de futebol de todo o país foi entregue na segunda-feira (22) ao candidato à Presidência da República Fernando Haddad, no emocionante ato na Pontifícia Universidade Católica (PUC) em São Paulo.

“É imensamente importante que tenhamos clareza e diálogo para nos posicionarmos nesse momento em nome da democracia e da liberdade! Caso contrário, todos os nossos sonhos e lutas terão sido em vão. Por isso apoiamos, neste segundo turno, a candidatura que representa a sobrevivência da democracia. Estamos em uma luta da democracia contra o autoritarismo”, diz trecho do manifesto (leia a íntegra abaixo).

Além das torcidas se manifestarem politicamente neste momento crucial para a vida do país, líderes religiosos de diferentes matizes também se posicionaram. Católicos, evangélicos, budistas e representantes de religiões de matrizes africanas fizeram uma oração no ato da PUC-SP. Eles ressaltaram a importância de defender a democracia e o Estado Democrático de Direito.

Assista a manifestação das organizadas 

Ao discursar contra a oratória de Jair Bolsonaro que só fala em perseguição, ódio, violência, armas, guerra e opressão, Haddad disse que superada a raiva pela situação imposta pelo golpe de Michel Temer, apoiado por Bolsonaro, “a gente acorda desse pesadelo e realiza a humanidade que todo mundo tem dentro de si”.

Leia a íntegra do manifesto das torcidas pela democracia:

"Vivemos hoje no Brasil um momento delicado e decisivo. Estamos há menos de quinze dias de uma eleição em segundo turno para escolhermos o presidente do país.

De um lado, uma democracia conquistada a duras penas e muita luta, de outro, um retrocesso conservador que motivou a luta de tantos cidadãos em nome da democracia e liberdade que ainda buscamos

Os riscos trazidos por essa polaridade causaram desencontro de informações baseados no ódio, na mentira, na construção de um inimigo público comum e na falsa ideia de que para corrigir erros, é preciso somente punir e privar os indivíduos de sua liberdade.

É preciso vir a público para manifestarmos e defendermos o Estado Democrático de Direito que conquistamos ao longo dos anos em que vivemos sob um regime militar. É preciso definir que tipo de sociedade queremos ser! E nós queremos a democracia!

As entidades que assinam esse manifesto se mostram preocupadas e buscam esclarecer a seus participantes que as vias obscuras de poder podem ser prejudiciais à nossa existência.

Major Olímpio, senador eleito e apoiado pelo candidato extremista da direita, já deixou claro seu objetivo de acabar com as torcidas organizadas criminalizando suas ações e seus componentes. Não podemos admitir tamanha injustiça e autoritarismo. Não podemos permitir que todo e qualquer ativismo social existente no Brasil seja extinto e apagado, dilacerando milhões de pessoas que querem apenas exercer seus direitos.

É imensamente importante que tenhamos clareza e diálogo para nos posicionarmos nesse momento em nome da democracia e da liberdade! Caso contrário, todos os nossos sonhos e lutas terão sido em vão. Por isso apoiamos, neste segundo turno, a candidatura que representa a sobrevivência da democracia. Estamos em uma luta da democracia contra o autoritarismo!

Assinam este manifesto 69 torcidas dos principais clubes brasileiros de futebol

Marcos Aurélio Ruy - Portal CTB

0
0
0
s2sdefault