Sidebar

15
Sáb, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Os trabalhadores e trabalhadores dos Correios do Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Pernambuco ocuparam as ruas, nesta terça (17), em defesa do fundo de pensão dos Trabalhadores dos Correios, Postalis, e contra o sucateamento e privatização dos Correios.

Ainda nesta terça, está previsto ato em Bauru, interior de São Paulo, às 17 horas, em frente à Superintendência Regional (Praça D. Pedro II, 4-55).

Rio de Janeiro

Com a palavra de ordem "O Banco BNY Mello é o responsável pelo rombo no Postalis", trabalhadores e trabalhadoras dos Correios do Rio marcharam no final d manhã desta terça para cobrar investigação e condenação dos verdadeiros autores do desmonte da estatal.

"Eles querem que nós trabalhadores paguemos a conta. Os atos de hoje cobram investigação para apurar fraudes e má gestão dos recursos e em defesa do nosso fundo de pensão, o Postalis", afirmou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares do Rio de Janeiro (Sintect/RJ), Ronaldo Martins. 

whatsapp image 2018 07 17 at 14.33.20

Foto: Sintect rio De Janeiro

whatsapp image 2018 07 17 at 14.33.22

Foto: Sintect rio De Janeiro

São Paulo

A concentração em São Paulo começou cedo e dialogou com a sociedade sobre o que esconde a proposta de privatização dos Correios e denunciar o desmonte do Postalis.

"Nosso objetivo é impedir que seja descontado dos benefícios, das aposentadorias e dos salários dos trabalhadores 50% da remuneração a título de equacionamento para cobrir o rombo no Postalis que não foi feito pelos participantes e sim por uma má gestão", afirmou o diretor da Federação Interestadual dos Empregados da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (Findect). Elias Diviza.

whatsapp image 2018 07 17 at 14.51.27

Foto: Douglas Melo

whatsapp image 2018 07 17 at 14.51.28

Foto: Douglas Melo

Pernambuco

20180717105041567406a

Foto: Mariana Fabrício/DP

Defesa dos direitos 

No dia 03 de julho, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares do Rio de Janeiro (Sintect/RJ), Ronaldo Martins; e os diretores da Federação Interestadual dos Empregados da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (Findect) Elias Diviza, José Aparecido Rufino, Anézio Rodrigues e José Aparecido Gândara se reuniram com o diretor-Presidente da Postal Saúde, Ariovaldo Câmara (ver foto abaixo). Os principais assuntos discutidos foram a falta de pagamento dos credenciados e melhoria na rede médica e odontológica.

Nessa reunião, foram apontadas as dificuldades denunciadas pelos trabalhadores e dependentes, principalmente com relação ao atendimento médico e odontológico, a falta de clínicas e especialistas, e as suspensões no atendimento devido à falta de repasse por parte da ECT aos credenciados do plano de saúde. Outro ponto em debate foi a necessidade de ampliação da rede.

sintect rjcobramelhoriasnoplanodesaudedacategoria

“É necessário no estado do Rio de Janeiro o restabelecimento imediato do credenciamento das especialidades deficitárias e também a busca pelo recredenciamento das clínicas que deixaram de atender os trabalhadores e dependentes pela falta de pagamento da ECT”, declarou Ronaldo Martins.

Por fim, a Postal Saúde informou que analisará todas as demandas apresentadas pelo Sintect-RJ e que, nos próximos dias irá se reunir novamente com o sindicato do RJ para trazer um retorno para as questões apontadas pelo Sindicato.

Portal CTB - Com informações das agências

0
0
0
s2sdefault