Sidebar

17
Qui, Jan

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

De acordo com o blogueiro Fábio Ramirez, que assistia ao show da banda paulista Titãs, um grupo em um camarote, que custou R$ 1.000, tentou levantar a plateia com o grito “Ei, Dilma, vai tomar no c#”. Ele diz que o grito não pegou.

O espetáculo aconteceu no sábado (19), “na MUSIVA e os ingressos iam de R$ 100 a 1.000! Por isso a plateia era formada majoritariamente de classe média e elite”, afirma Ramirez. Segundo ele, a manifestação ocorreu após os Titãs tocarem a música “Fardados”.

Que diz: “você também é explorado, fardado! Você também é explorado, Aqui! Por que você não abaixe essa arma, o meu direito é seu dever. Por que você não usa essa farda, pra servir e pra proteger”. Sobre a Jornada de Junho de 2013.

Termina o show e o grupo volta para o bis, como sempre ocorre. Então Paulo Miklos pega o microfone e diz que “decidimos tocar essa música de 87, por que ela está muito atual”. Era a canção “Desordem”.

Cuja poesia diz: “é seu dever manter a ordem? É seu dever de cidadão? Mas o que é criar desordem, quem é que diz o que é ou não? São sempre os mesmos governantes, os mesmos que lucraram antes. Os sindicatos fazem greve porque ninguém é consultado, pois tudo tem que virar óleo pra pôr na máquina do Estado. Quem quer manter a ordem? Quem quer criar desordem?”.

 

Desordem (Marcelo Fromer, Sérgio Britto, Charle Gavin):

 

Quando, diz Ramirez, o mesmo grupo tenta puxar o grito de “fora Dilma”. Ficaram isolados, nesse momento, Miklos desabafa: “vamos manter a ordem democrática! Lutamos por isso, democracia acima de tudo!” E o domingo amanheceu em paz em Cuiabá.

Portal CTB com informações do Blog do Ramirez. Foto Marcelo Tinoco

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.