Sidebar

20
Seg, Maio

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A canção “Chapa” de autoria do rapper paulistano Emicida ganha clipe com a participação das Mães de Maio e viraliza na internet.

O rapper conta ao Ponta Jornalismo que “os trabalhadores têm que agir, mano. Esse estalo, eu tive quando aquele moleque de 17 anos tomou um tiro de um policial, no Jardim Brasil, e ainda teve forças pra perguntar por que o cara tinha atirado nele” (leia a entrevista completa aqui).

Ele se refere ao adolescente Douglas Rodrigues, morto por um PM em 2013, sem ter esboçado nenhuma reação à abordagem policial. Fato muito comum na periferia de São Paulo. Por isso, o clipe também apresenta dados da violência policial.

Participam do vídeo cinco mulheres que contam suas histórias.  “Você vê, né, mano, a história dos filhos dessas senhoras é parecida. Parece que, se você não souber, é uma história só. Saiu de casa, foi abordado e… [faz sinal de tiro com as mãos]”, diz ele.

O movimento Mães de Maio foi criado em 2006. Porque entre os dias 12 e 21 de maio houve ação do Primeiro Comando da Capital (PCC) e a PM saiu às ruas e matou 564 pessoas. A falta de solução para essa chacina de “suspeitos”, deu origem ao movimento (saiba mais pelo Facebook do grupo aqui)

crimes de maio 1

“O Mães de Maio é um movimento de mulheres donas de casas, mas que aprendeu, ao longo desses anos, a trabalhar com esse sistema. E quando as donas de casa saem de suas casas e começam a militar perante o Brasil, acabam ultrapassando as fronteiras. O nosso grito é um grito que tem que ecoar porque nosso país é um país omisso”, Débora Maria Silva, fundadora do movimento.

Chapa é um menino morto pela polícia. Os dados apresentados pelo vídeo são tão fortes quanto a letra da música. Em 10 anos, a PM paulista matou quase 12.000 jovens, na maioria absoluta negros, pobres, moradores da periferia, desarmados e sem passagem pela polícia.

Assista o clipe 

Chapa (Emicida)

Chapa, desde que cê sumiu

Todo dia alguém pergunta de você

Onde ele foi? Mudou? Morreu? Casou?

Tá preso, se internou, é memo? Por quê?

Chapa, ontem o sol nem surgiu, sua mãe chora

Não dá pra esquecer que a dor vem sem boi

Sentiu, lutou, ei "Jhow" ilesa nada,

Ela ainda tá presa na de que ainda vai te ver

Chapa, sua mina sorriu, mas era sonho

Quando viu, acordou deprê

Levou seu nome pro pastor, rezou.

Buscou em tudo, Face, Google, IML, DP

(E nada)

Chapa, dá um salve lá no povo

Te ver de novo faz eles reviver

Os pivetin' na rua diz assim:

Ei tio, e aquele zica lá que aqui ria com nóiz, cadê?

Chapa pode pá, to feliz de te trombar

Da hora, mas deixa eu fala prucê

Isso não se faz, se engana ao crê

Que ninguém te ame e lá

Todo mundo temendo o pior acontecer

Chapa, então fica assim, jura pra mim que foi

E que agora tudo vai se resolver

Já serve, e eu volto com o meu peito leve

Até breve, eu quero ver sua família feliz no rolê

Mal posso esperar o dia de ver você

Voltando pra gente

Só voz avisar o quanto ama-te

Você de um riso contente

Vai ser tão bom, tipo São João

Vai ser tão bom, que nem reveillon

Vai ser tão bom, Cosme e Damião

Vai ser tão bom, bom, bom

Chapa, desde que cê sumiu

Todo dia alguém pergunta de você

Onde ele foi? Mudou? Morreu? Casou?

Tá preso, se internou, é memo? Por quê?

Chapa, ontem o sol nem surgiu, sua mãe chora

Não da pra esquecer que a dor vem sem boi

Sentiu, lutou, ei "Jhow" ilesa, nada

Ela ainda tá presa na de que ainda vai te ver

Chapa, sua mina sorriu, mas era sonho

Quando viu, acordou deprê

Levou seu nome pro pastor, rezou.

Buscou em tudo, Face, Google, IML, DP

(E nada)

Chapa, dá um salve lá no povo

Te ver de novo faz eles reviver

Os pivetin' na rua diz assim:

Ei tio, e aquele zica lá que aqui ria com nóiz, cadê?

Chapa pode pá, to feliz de te trombar

Da hora, mas deixa eu fala prucê

Isso não se faz, se engana ao crê

Que ninguém te ame e lá

Todo mundo temendo o pior acontecer

Chapa, então fica assim, jura pra mim que foi

E que agora tudo vai se resolver

(Vô menti prucê não mano

Às vez eu acho de bobeira um retrato lá em casa

Olho não aguenta não, enche de água)

Mal posso esperar o dia de ver você

Voltando pra gente

Só voz avisar o quanto ama-te

Você de um riso contente

Vai ser tão bom, tipo São João

Vai ser tão bom, que nem reveillon

Vai ser tão bom, Cosme e Damião

Vai ser tão bom, bom, bom

Marcos Aurélio Ruy – Portal CTB

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.