Sidebar

18
Qui, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Mais uma vez, a cultura se manifesta contra opressão. A musica Cálice, de Chico Buarque e Gilberto Gil, que foi lembrada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em artigo no jornal Folha de S.Paulo, é uma importante referência à resistência cultural à ditadura civil-militar (1964-1985), mantendo-se atualíssima nos dias atuais e estará presente no Festival Lula Livre na noite deste sábado (28).

Chico Buarque e Gilberto Gil catarolam a canção Cálice e censor desliga os microfones 

Os Arcos da Lapa, no Rio de Janeiro, vão tremer com o espetáculo arquitetado por Chico Buarque e Martinho da Vila. O Festival Lula Livre reúne no palco principal pelo menos 40 artistas, representando toda a diversidade cultural brasileira e ultrapassará 10 horas do melhor da música popular brasileira. Além de chamar a sociedade à resistência ao estado de exceção implantado em 2016.

Muito importante a participação de artistas em defesa da liberdade do ex-presidente Lula, preso desde 7 de abril, sem ter tido o direito a todos os recursos que a justiça permite e, pior, sem nenhuma prova de crime. A luta é também para ser respeitado o direito dele ser candidato nas eleições de outubro.

Música todos os cantos do país pelo grito de "Lula Livre” e pelo restabelecimento do Estado Democrático de Direito.

Papo Reto, de Dani Nega e Craca, presentes ao espetáculo por Lula Livre 

Quem está no Rio de Janeiro tem essa chance de apreciar esse espetáculo único e ainda apoiar a luta do povo brasileiro por eleições livres e limpas em outubro, com todos os candidatos. Quem não tem a possibilidade de estar no Rio, poderá assistir pela TVT, a partir das 19h30, 44.1, por antena digital.

Não foi Cabral, de MC Carol, que também estará no show 

Os Jornalistas Livres e a Mídia Ninja também transmitirão ao vivo esse show que promete subir o som para que o Judiciário acorde e restabeleça a Justiça no país. O show será encerrado pela apresentação imperdível de Chico Buarque e Gilberto Gil juntos.

Esse espetáculo representa os mais de 90% de brasileiras e brasileiros que rejeitam o projeto de retrocessos implantado por Michel Temer, após o golpe de Estado de 2016. “Artistas, intelectuais e movimentos sociais convocam um dia de festa e luta em defesa da democracia e pela liberdade de Lula. Queremos reunir milhares de vozes em um só coro por Lula Livre”, dizem os organizadores do ato-show. O espetáculo vai brilhar para afastar de nós esse cale-se da ditadura midátio-juridico-parlamentar que acaba com todos os direitos da classe trabalhadora.

Cálice foi gravada em 1978 por Chico Buarque e Milton Nascimento para marcar o fim da censura 

Marcos Aurélio Ruy – Portal CTB

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.