Sidebar

25
Seg, Mar

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

“A riqueza mais importante que temos é o conhecimento e isso não se compra”, declarou o ex-presidente do Uruguai, José Pepe Mujica, em entrevista coletiva concedida para representantes da mídia alternativa brasileira, na manhã desta quarta-feira (27) na sede do Barão de Itararé em São Paulo.

Durante quase duas horas, o hoje senador falou sobre conjuntura política na América Latina e destacou as experiências uruguaias como a legalização do aborto, da maconha, a aprovação da lei dos meios de comunicação entre tantos outros avanços sociais daquele país.

“A crise política chega na América Latina, mas isso não é nenhuma catástrofe. Agora é tempo de lutar”, declarou o ex-guerrilheiro que descreveu o momento de turbulência e conflito social vivido em vários países da região como parte da história de luta e resistência dos povos.

“A moeda tem dois lados. Os dois pertencem à história do homem: tanto o lado conservador como o justiceiro e solidário”, expressou para os blogueiros e jornalistas presentes na atividade.

Ao ser questionado sobre a tentativa golpista no Brasil, Mujica atribuiu esta situação à vários fatores que favoreceram as forças conservadoras como a crise econômica mundial, a falta de consciência política, além da manipulação exercida pelos detentores dos grandes meios de comunicação.

“No Brasil, nos últimos doze anos criou-se uma nova classe média, mas não aumentou, necessariamente, a conscientização da população”, informou. Para ele os setores progressistas precisam aprender com os erros e se unirem na resistência. “Os derrotados são os que deixam de lutar”, disse.

Já sobre as ameaças que um golpe no Brasil pode gerar para as conquistas da classe trabalhadora, o líder falou que é preciso ter uma frente comum de luta e buscar a unidade dentro do movimento sindical para defender os direitos trabalhistas.

Texto e foto: Érika Ceconi - Portal CTB 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.