Sidebar

24
Dom, Mar

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) vem a público manifestar seu repudio à prisão da líder comunitária e deputada do Parlamento do Mercosul (Parlasul), Milagro Sala, detida desde o último sábado (16), após ser denunciada pelo governador da província argentina Jujuy, Gerardo Morales, aliado de Mauricio Macri, por “incitar a violência”.

Milagro Sala liderava um protesto de cooperativistas que estavam acampados em frente à prefeitura de Jujuy para defender seus postos de trabalho. Ao ser presa, a dirigente da organização Tupac Amaro entrou em greve de fome para denunciar a perseguição política sofrida.

O advogado da ativista, Luis Paz, tentou pedir a liberdade de Milagro ao alegar que “acampar não é um delito” e que “a ocupação do espaço público está tipificada como uma contravenção em Jujuy, o que se resolve pagando uma multa e não com uma detenção”, mas foi negado. Além disso a deputada será transferida para um presidio fora da cidade.

A CTB presta seu total apoio à dirigente social, seus familiares, amigos e exige sua imediata libertação. É inaceitável que o protesto social seja criminalizado e que a classe trabalhadora seja impedida de exercer seus direitos.

Denunciamos ainda as políticas neoliberais do governo de Mauricio Macri, que já provocou a demissão de milhares de trabalhadores e prestamos nossa solidariedade ao povo argentino para continuar na luta por uma sociedade mais justa e igualitária.

São Paulo, 21 de janeiro de 2015
Adilson Araújo, presidente da CTB e Divanilton Pereira, secretário de Relações Internacionais 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.