Sidebar

21
Seg, Jan

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Após seis anos, a Justiça do Paraguai absolveu os camponeses acusados pelo massacre de Curuguaty. Na ocasião, que culminou em um golpe de Estado que derrubou o então presidente Fernando Lugo, seis policiais e 11 trabalhadores rurais morreram após enfrentamento, em junho de 2012.

fsm ctb paraguai

A Federação Sindical Mundial (FSM) divulgou uma nota na qual saúda os trabalhadores rurais injustamente presos e destaca a importância da solidariedade internacional.  O comunicado lembra ainda de duas  visitas realizadas pela entidade aos presos.

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) também participou de atividades naquele país para reforçar seu apoio ao povo paraguaio.

Leia a íntegra do documento:  

A grande família da FSM, que reúne mais de 92 milhões de trabalhadores em 126 países ao redor do mundo, saúda a libertação dos camponeses presos no caso Curuguaty, no Paraguai.

A anulação, por decisão unânime dos três juízes de apelação da Corte do Suprema de Justiça do país, da sentença que condenava os onze camponeses acusados, é o resultado de duras lutas que se desenvolveram os militantes, sindicalistas, as pessoas simples, os membros do movimento popular e trabalhador em todo o mundo.

Com essa anulação judicial, três dos quatro camponeses que ainda estavam detidos na prisão de Tacumbú recuperam sua liberdade e os outros sete condenados são totalmente absolvidos.
Ruben Villalba, líder camponês da FSM, não conseguiu recuperar sua liberdade devido à sentença que recebeu em outro caso de luta por terra. Sendo assim, a FSM declara alto e claro que continuará a lutar até a sua libertação final.

Nossos membros estavam constantemente na vanguarda da luta pela libertação dos líderes camponeses dirigentes da FSM que nem se rendeu nem se curvou seus diante da a repressão do Estado. Foi neste contexto que o secretário-geral da FSM, George Mavrikos, visitou os lutadores paraguaios nas prisões, em duas oportunidades, para reiterar a nossa solidariedade internacionalista.

A FSM se orgulha de seus militantes e reafirma que vai continuar a apoiar as justas demandas do povo paraguaio até a vitória final e a abolição da exploração do homem pelo homem! A libertação dos camponeses paraguaios é outra prova de que a luta organizada e de classe é invencível.

Viva a solidariedade internacionalista! A luta continua!

O Secretariado

 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.