Sidebar

13
Ter, Nov

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Desde 2016, o Ministério do Desenvolvimento Social promove rigoroso pente-fino e cortou o auxílio doença de oito em cada 10 trabalhadores que passaram por perícia de revisão. Ou seja, 77% do contingente voltaram ao trabalho.

Os principais motivos para o cancelamento do programa são cadastro desatualizado e informações incorretas. Tudo para complicar a vida do mais pobre. Só de imaginar a burocracia muito desistem de renovar o cadastro. 

De acordo com informações da Previdência Social. foram realizadas 1.134.789 perícias no país. Dos 464,4 mil trabalhadores que eram beneficiados com o auxílio, INSS cortou 359,5 mil deles.  No caso das aposentadorias por invalidez, os cortes foram menores. No total, 679,5 mil aposentados foram avaliados, sendo que 192,6 mil ficaram sem a renda. Um total de 28%.

Além disso, dos segurados que não compareceram (73,7 mil) tiveram os benefícios cancelados e outros 60 mil casos de auxílios e aposentadorias que foram cortados por outros motivos. Dentre eles morte do beneficiário e decisões judiciais que encerravam o pagamento.

A política é cortar

Os cortes não param. Não acontecem apenas nas aposentadorias e auxílios doenças como também em programas sociais, a exemplo do Bolsa Família. Só em 2018, 469 mil benefícios foram cancelados e outros 667 mil bloqueados, por supostas irregularidades.

Esse é o Brasil de todos.

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.