22
Dom, Out

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Jacobo TorresDesde a partida do nosso Comandante Supremo, a Venezuela e a Revolução Bolivariana se viram submetidos a mais brutal agressão por parte do imperialismo norte-americano e seus operadores crioulos.

Não contentes em sabotar a economia, tentar submeter nosso povo à fome, nos últimos tempos, aceleraram seus planos fascistas ao colocar em marcha um golpe de Estado como epilogo da guerra econômica.

Há meses, a oposição venezuelana planejou e tentou executar um sangrento cenário a partir do dia 12 de fevereiro.

O detonante do plano seria a publicação de um documento chamado “para a transição” subscrito pelos da ultradireita encabeçados pelo réu Leopoldo López, María Machado, de amplo prontuário golpista e Antônio Ledezma recém detido pela justiça sob as acusações de conspiração para delinquir.

Estes nefastos personagens tem sido apontados por oficiais detidos ao ser derrotado o golpe de Estado em desenvolvimento. Seu plano falhou, os órgãos da segurança do Estado e o povo denunciaram as ações destes fascistas.

Hoje a Revolução Bolivariana conseguiu com eficácia política deter a agressão, desmantelando os focos da conspiração, no entanto, o próprio governo estadunidense, eminencia cinza atrás do golpe, ameaçou nosso povo e governo com intervenções diretas com a aplicação de sanções para funcionários venezuelanos, a pressão para os demais países para tentar isolar o processo político.

Frustrado o golpe entraram em sua fase mais perigosa, buscar a maneira de justificar uma ação direta das forças militares estrangeiras contra nossa Pátria.

A conspiração tem sido sufocada, a guerra econômica, apesar de não termos vencido por completo, foi derrotada em sua fase mais crítica e avançamos firmes na recuperação econômica e a consolidação do governo revolucionário.

Só existe o risco que suas maquinações tentem uma intervenção militar direta promovida pelos golpistas com os Estados Unidos como principal executor.

É por isso, Camaradas da classe trabalhadora que hoje apelamos para a solidariedade de vocês para conjurar qualquer intenção de acabar com nosso processo.

O povo e os trabalhadores saberemos defender a Pátria e preservar a Revolução, contamos com vocês para liquidar, definitivamente, a conspiração contra o Povo de Bolívar e contra a Pátria Grande Nossa América.

Jacobo Torres de León, Coordenador Internacional da Central Bolivariana Socialista de Trabalhadores e Trabalhadoras da Cidade, do Campo e Pesca da Venezuela (CBST).



Os artigos publicados na seção “Opinião Classista” não refletem necessariamente a opinião da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e são de responsabilidade de cada autor.

Em protesto contra nova lei trabalhista, movimento sindical prepara ato nacional     10 de novembro