25
Seg, Set

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A Federação Interestadual de Metalúrgicos e Metalúrgicas do Brasil (Fitmetal) lamenta a decisão da presidenta Dilma Rousseff de vetar Fórmula 85/95, projeto apoiado pelo conjunto das centrais sindicais para substituir o Fator Previdenciário como meio de se calcular as aposentadorias no país.

Para a Fitmetal, é preciso demonstrar com clareza para a sociedade que a Previdência não é deficitária, ao contrário do que apregoam setores da sociedade interessados em enfraquecer o modelo vigente no país, que contempla um regime de aposentadoria público e abrangente para a classe trabalhadora.

É importante superar o Fator Previdenciário, mas a partir de um modelo que não continue penalizando a maior parte da população. A regra de progressividade proposta pelo governo federal não atende a esse anseio e merece o repúdio do movimento sindical.

De acordo com a medida provisória apresentada nesta quarta-feira (17), a nova regra terá como ponto de partida a fórmula 85/95 e subirá anualmente a partir de 2017 até alcançar 90/100. Com essa progressão, o governo quer considerar na fórmula a evolução da expectativa de vida dos brasileiros. Dessa forma, em 2017, a fórmula passaria para 86/96 e assim por diante.

Diante desse cenário, a Fitmetal se somará às centrais sindicais para pressionar o Senado Federal a derrubar o veto da Presidência em relação à Fórmula 85/95, com a certeza de que esse modelo é o que pode trazer maiores ganhos à classe trabalhadora no momento de sua aposentadoria.

São Paulo, 19 de junho de 2015

Marcelino Rocha
Presidente da Fitmetal