Fonte

O apresentador Jô Soares, da TV Globo, é o novo alvo da direita debilóide. Uma semana após a sua entrevista com Dilma Rousseff, ele foi ameaçado de morte na porta da sua residência, no bairro nobre de Higienópolis, no centro da capital paulista. Os fascista picharam na rua "Morra Jô Soares". Diante da ameaça, ele não perdeu o senso de humor: "Ainda bem que não marcaram a data". O ódio mortal ao apresentador deriva das suas posições recentes contra as tentativas golpistas de impeachment da presidenta. Ele inclusive já chegou a polemizar, ao vivo, com as próprias "meninas de Jô", famosas pelo oposicionismo raivoso e o catastrofismo militante.

 
"Eu comecei a ter a reputação de petista fanático porque saí em sua defesa quando começou aquela onda absurda, louca, do 'fora Dilma'. As pessoas não acreditam muito que na democracia, quando a pessoa é eleita, tem que se respeitar o voto. Saí em sua defesa, não que você precisasse, mas tem certas coisas que me deixam indignado", afirmou Jô Soares durante a entrevista com Dilma Rousseff exibida em 12 de abril. Logo na sequência, vários "calunistas" da mídia destilaram seu ódio contra o apresentador, rotulando-o de governista e "vendido". 
 
O recalcado Danilo Gentili, talvez deprimido com a perda de audiência do seu patético The Noite, no SBT, chegou a postar uma imagem na qual Jô Soares aparece com uma coleira ao lado da presidenta, que segura um biscoito para cachorro. Ele ainda produziu um vídeo em sua página no Facebook com uma montagem provocativa e de baixo nível contra o seu concorrente. O fascista Olavo de Carvalho também exibiu toda a sua genialidade intelectual ao postar em seu Twitter: "O que é mais difícil de levantar: o ibope da Dilma ou o pau do Jô Soares?".  
 
A campanha de ódio, estimulada pelas "celebridades midiáticas", logo se espalhou pela internet. Os "imbecis das redes sociais" - conforme recente definição do escritor Umberto Eco - imediatamente passaram a ladrar! Segundo o portal Terra, a página da seita direitista "Avança Brasil" espalhou uma imagem no Facebook sobre o "falecimento" do apresentador. "Faleceu ontem Jô Soares, de infarto agudo de credibilidade após uma polêmica entrevista... Descanse em paz, Jô Soares. O que a obesidade poupou, a falta de credibilidade matou", diz a legenda da foto. Agora, os fascistas deixam as redes sociais para pichar a rua em frente à residência do apresentador.
 
Diante destes absurdos, o escritor e jornalista Fernando Morais postou nesta sexta-feira (19): “Sou fã, amigo, leitor e espectador do Jô Soares desde o século passado. Andamos meio brigados uns tempos, mas felizmente fizemos as pazes. Nunca deixei de ser seu fã, leitor e espectador, mesmo quando não concordava com ele. Acabam de me mandar a foto de uma pichação na calçada de sua casa, onde algum tarado escreveu 'Morra Jô Soares' - certamente por causa da entrevista que ele fez com a Dilma. Essa barbaridade só me faz ser mais fã, amigo, leitor e espectador do Jô. Viva o gordo!".
 
Altamiro Borges é jornalista