Ferramentas
Tipografia

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB-RS) apoia e se solidariza à luta dos trabalhadores do serviço público do Estado. Prestamos total apoio à luta desses trabalhadores frente ao descalabro promovido pelo governo de Sartori, que tenta jogar o peso da crise sobre os ombros do funcionalismo e da sociedade.

Ao atrasar e parcelar salários, pela 6ª vez consecutiva, Sartori desrespeita e humilha aqueles que cuidam da educação dos nossos filhos; aqueles que arriscam suas vidas diariamente para garantir nossa segurança; aqueles que fazem o "impossível" para cuidar da saúde das nossas famílias; aqueles que fazem o serviço público funcionar para quem mais precisa, mesmo sem estrutura e condições adequadas de trabalho.

Sartori faz um governo que não engrena e se mostra incapaz de dar as respostas que a sociedade requer para a retomada do desenvolvimento do Rio Grande. Está na contramão, ao promover a precarização e diminuição do papel do Estado, o desmonte das políticas públicas e os ataques aos direitos dos trabalhadores.

Ao apoiar o golpe, Sartori afronta tradição democrática do Rio Grande. O governo de Sartori está alinhado a mesma visão que hoje tomou o governo federal. Sartori apoia o interino e ilegítimo Temer, este que não foi eleito pelo voto e que tenta impor um projeto anti-povo e anti-nacional, derrotado nas eleições de 2014. Este fato contraria a tradição de luta democrática do Rio Grande.

A exemplo de Temer no Brasil, Sartori tem somado retrocessos e atraso no Estado, justamente porque promove o retorno das políticas neoliberais de destruição do Estado e dos direitos sociais.

Diante de tudo isso, a CTB conclama a toda a classe trabalhadora e a sociedade no apoio a luta justa dos trabalhadores no serviço público do RS. Em defesa do Estado e do Brasil, contra os retrocessos e por nenhum direito a menos.

Guiomar Vidor é presidente da CTB-RS e Fecosul

Os artigos publicados na seção “Opinião Classista” não refletem necessariamente a opinião da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e são de responsabilidade de cada autor