Fonte

O nosso partido sempre esteve e estará ao lado dos trabalhadores, é assim desde o manifesto dos pioneiros, em 1947, dando continuidade com a refundação em 1985 até os nossos dias.

Diante da ameaça da retirada de direitos e a divisão dos trabalhadores, Arraes sentenciava: " a proposta é desarrazoada, votarei contra qualquer tentativa de dividir os trabalhadores..." Prosseguindo, "sou a favor da manutenção e ampliação dos direitos...Sempre estarei contra os mecanismos de controle dats forças conservadoras, que não querem o crescimento das forças emergentes da sociedade que desejam transformações mais profundas..." Foi o seu último discurso, em 2005, à frente da direção do PSB, contra a PEC 369/05 da reforma sindical e trabalhista.

A resolução contra qualquer retira de direitos conquitados pelos trabalhadores, apresentada pela SSB e defendida por mim no plenário do XIII congresso nacional do partido, em junho de 2014, suplantou qualquer possibilidade do PSB recuar no postulado em defesa do povo e fechou questão contra as ameaças promovidas pelas forças conservadoras de retrocessos aos direitos conquistados que rondam o Congresso Nacional.

Assim, a resolução aplica-se ao momento atual das reformas trabalhista e previdenciária. O PSB encaminhará CONTRA os projetos em tramitação na Câmara Federal pois os mesmos atacam os direitos conquistados, no caso da reforma trabalhista, precariza as relações de trabalho, ataca o direito à organização sindical e institui a supremacia do negociado sobre o legislado, entre outros. Seria o fim do ordenamento jurídico trabalhista brasileiro.

O PSB consonante com a sua história e programa não se intimidará na defesa do povo trabalhador.

Joilson Cardoso - secretário nacional sindical do PSB e SSB, Vice-presidente licenciado da CTB.

Os artigos publicados na seção “Opinião Classista” não refletem necessariamente a opinião da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e são de responsabilidade de cada autor.