Fonte

Mesmo com a crise política, indústria avançou em maio – com esta manchete ufanista sem base na realidade, o jornal golpista O Globo comemorou, nesta terça-feira (4), uma alegada recuperação no desempenho do setor industrial.

Os comentários feitos na mídia golpista sobre os dados do IBGE do comportamento da indústria, divulgados no início desta semana confirmam, mais uma vez, os temores daqueles que supõe que estatística serve a qualquer argumento desde que manipulada convenientemente.

O truque está na hiper-valorização do medíocre desempenho positivo da indústria no mês de maio, de 0,8% em relação abril. Menos ainda que o crescimento diminuto de 1,1% em abril. São números inexpressivos, que revelam uma oscilação dentro do profundo buraco em que a indústria brasileira foi enfiada nesta crise provocada pelo governo golpista e por sua política que favorece apenas a especulação financeira. Temer tem como objetivo maior favor o rentismo, que abocanha uma parcela enorme dos recursos públicos e nada produz. Mais de 45% do orçamento da União são destinados ao pagamento de juros e à rolagem da dívida pública, satisfazendo assim à ganância especulativa dos banqueiros.

Quando o time vai mal, comemora até escanteio, diz o povo. É o que O Globo na tentativa inglória de passar uma imagem positiva do que ocorre na economia, que vive a pior crise da história do país.

Ao anunciar o resultado de maio, o gerente da pesquisa, André Macedo, do IBGE, fez questão de afirmar que o setor ainda tem "espaço importante a ser percorrido" para se recuperar.

Não há o que comemorar, pode-se concluir. Quando comparado ao desempenho de junho de 2013, a indústria encolheu 18,5%, informou o pesquisador. Esse é o tamanho do buraco. O "aumento da produção industrial precisa ser relativizado", diz aquele pesquisador. "É claro que houve uma melhora de ritmo, mas ainda há um espaço importante a ser percorrido para a indústria recuperar as perdas do passado", acrescentou.

A situação fica mais realista quando se avalia o desempenho da indústria no último ano. Houve retração (isto é, diminuição) de 2,4% nos últimos doze meses. O que os dados ora divulgados revelam é apenas uma redução no ritmo da queda, que há um ano era de 9,7% - este é o tamanho do escanteio comemorado pela mídia golpista: a queda diminuiu de ritmo, mas continua! E a melhor maneira de comprovar esta verdade é verificar o tamanho himalaico do desemprego, que chega ao número impensável de13,2%!

O crescimento pífio registrado em maio "está longe de garantir um crescimento sustentável", disse André Macedo.

José Carlos Ruy é jornalista e escritor. Artigo originalmente publicado no Portal Vermelho. 

 Os artigos publicados na seção “Opinião Classista” não refletem necessariamente a opinião da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e são de responsabilidade de cada autor.