Rurais
Ferramentas
Tipografia

A Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Minas Gerais (Fetaemg), com o apoio da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) promove, nesta quinta-feira (16/03), um café da manhã com o objetivo de dialogar com os parlamentares da bancada mineira sobre os impactos da Reforma da Previdência Social / PEC 287, na vida dos trabalhadores e trabalhadoras rurais, na economia e no desenvolvimento dos municípios mineiros.

Na ocasião, também serão recebidos prefeitos e vereadores de vários municípios mineiros, também preocupados com as consequências e impactos da PEC 287 na economia e na qualidade de vida da população. Em muitas cidades, o valor pago aos segurados da Previdência Social é maior que o Fundo de Participação (FPM) e ajuda a movimentar a economia local.

A Fetaemg tem promovido diversos atos contra a reforma, visto que há uma grande preocupação com os rurais, que poderão ser os mais impactados com as mudanças, caso a PEC 287 seja aprovada. A proposta do governo prevê a equiparação de idade entre urbanos e rurais e também entre homens e mulheres. Outro ponto é que o homem do campo começa a trabalhar mais cedo do que os urbanos e, em muitas vezes, em condições precárias, penosas e exaustivas.

Déficit na Previdência: A existência de déficit na Previdência Social é contestada pela Fetaemg e por diversas instituições renomadas do país, como a Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip), o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e por diversas entidades sindicais.

O presidente da Fetaemg, Vilson Luiz da Silva, defende que, ao invés de retirar direitos de trabalhadores, o governo deveria combater a sonegação fiscal das grandes empresas, que ultrapassa os R$ 500 bilhões de reais, de acordo com o Instituto de Estudos Socieconômicos.

Fonte: Contag

Conferência Nacional

banner cndr 2015