Sidebar

20
Sáb, Jul

Rurais
Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

juventude rural contag

Jovens trabalhadores rurais reunidos na sede da Contag, em Brasília. Foto: César Ramos

Com muita energia, muito compromisso e muita animação, os integrantes da Comissão Nacional de Jovens Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais da Contag (CNJTTR) iniciaram na manhã desta quinta-feira (5) a reunião ampliada para concluir a organização do 3º Festival Nacional da Juventude Rural - que será realizado em Brasília, entre 27 e 30 de abril.

A abertura da reunião contou com a presença de muitos integrantes da diretoria da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) e assessores, o que demonstra a valorização e a importância dada pela instituição à mobilização da juventude do campo e das florestas. Estavam lá o presidente da Contag, Alberto Broch, a secretária da Terceira Idade, Lúcia Moura, o secretário de Administração e Finanças, Aristides dos Santos, a secretária geral, Dorenice Flor da Cruz, o secretário de Formação e Organização Sindical, Juraci Souto, o vice-presidente e secretário de Relações Internacionais, Willian Clementino e a secretária de Jovens Trabalhadores (as) Rurais, Mazé Morais, que faz parte da CNJTTR.

A reunião será realizada hoje (05) e amanhã (06), no CESIR, na sede da CONTAG, em Brasília. Os integrantes da CNJTTR – secretários e coordenadores de Jovens das Federações de Trabalhadors na Agricultura de todo o país, além de representantes da juventude de instituições parceiras, como CUT, CTB, Unicafes, Via Campesina e outros – trabalharão em equipes para detalhar toda a proposta político-pedagógica, cultural e esportiva do Festival, definindo encaminhamentos e pendências.

Alberto Broch, sublinhou que um dos temas mais importantes a ser pensado pela juventude do campo e das florestas é a sucessão rural. “É preciso que a gente se pergunte: quem vai produzir os alimentos do país daqui a 10, 20 ou 30 anos, e de que forma? Com as atuais dificuldades impostas pelas mudanças climáticas, quais serão as condições que teremos para manter nossos jovens no campo com qualidade de vida e de produção?”, propôs Broch.

Mazé Morais, desejou boas vindas a todos(as) e motivou os participantes a construir uma reunião produtiva. “A partir daqui, com coragem e ousadia, faremos do Festival da Juventude um momento importante da luta pelos direitos dos jovens trabalhadores rurais do Brasil”, afirmou Mazé.

Fonte: Contag, por Lívia Barreto

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.