Sidebar

20
Seg, Maio

Rurais
Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Mais de 500 mulheres do Rio Grande do Sul, que estão em Brasília participando da 5ª Marcha das Margaridas, estiveram na manhã de hoje (11) no Ministério da Fazenda, onde foi realizado um ato para pedir a presidente Dilma Rousseff, que anuncie, amanhã, o decreto de regulamentação do Programa Nacional de Crédito Fundiário – PNCF. Ao mesmo tempo, a Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul - Fetag-RS, através da coordenadora de Mulheres, Inque Schneider, do tesoureiro-geral, Sérgio de Miranda, da 1ª secretária, Josiane Einloft, do deputado federal, Heitor Schuch, e demais lideranças protocolaram um documento que contém os motivos para a referida solicitação de alterações.

O presidente da Fetag-RS, Carlos Joel da Silva, espera que a presidente Dilma assine o decreto e com isso traga tranquilidade aos agricultores e seus filhos, que teriam a oportunidade de adquirir uma área de terras. “O crédito fundiário não substitui a reforma agrária, mas é fundamental para adequar módulos e possibilitar que o agricultor que vai vender sua propriedade, que o faça para algum familiar em detrimento de um especulador”, justifica.

A Fetag-RS cobra de forma sistemática do governo federal a assinatura do decreto. As promessas vêm ocorrendo desde abril, durante o 4º Festival da Juventude, depois em maio no Grito da Terra Brasil, logo em seguido no Plano Safra e agora na Marcha das Margaridas. “Esperamos que Dilma se sensibilize com o pedido das mulheres, que pedem terra para os filhos continuarem produzindo alimentos para a nação”, conclui o dirigente.

As alteraões pedidas:

Manutenção da atual taxa de juros e rebates praticados no programa;
Ampliação do patrimônio para no mínimo R$ 100 mil;
Manutenção da linha de financiamento para os Jovens com recursos do Fundo de Terras da União;
Que a garantia real seja apenas o imóvel a ser adquirido não havendo a necessidade de incluir outro bem.
Além disso, a necessidade de que um novo fluxograma das propostas seja realizado, visando a desburocratização e facilitando o trâmite das propostas a serem encaminhadas.

Por Carlos Joel da Silva - Fetag-RS

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.

Conferência Nacional

banner cndr 2015

Últimas notícias rurais