Sidebar

23
Ter, Jul

Rurais
Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Centenas de trabalhadores e trabalhadoras rurais de Almenara e cidades vizinhas ocuparam as ruas da cidade no último dia 05 para demonstrar a indignação da classe com as reformas trabalhista e da previdência.

O presidente da Fetaemg, Vilson Luiz da Silva, participou do evento e durante a manifestação afirmou que o Movimento Sindical não descansará e continuará lutando com firmeza para garantir que não haja a retirada de nenhum direito. Representando a Fetaemg também estiveram presentes o diretor de Política Agrícola, Marcos Nunes, a diretora de Políticas Sociais, Maria Alves e a coordenadora da Comissão Estadual de Mulheres, Alaíde Bagetto.

Vilson afirmou que as reformas são um grande retrocesso e prejudicará a todos, não só os rurais. “ A reforma trabalhista, se aprovada integralmente, representará a volta do trabalho escravo, uma vez que o trabalhador perderá toda a proteção assegurada pelas leis trabalhistas atuais”. Sobre a reforma da previdência, Vilson afirma que os rurais também serão os mais prejudicados: “ O homem do campo começa a trabalhar muito cedo, um trabalho árduo e penoso. Não é justo aumentar o nosso tempo de contribuição. Não é justo o governo colocar a culpa nos rurais pois nós também contribuímos com a previdência social.” Afirmou.

Antes da caminhada foi realizado um debate na sede do Sindicato de Trabalhadores Rurais de Almenara, onde foram expostos para os presentes todos os pontos perversos das reformas. Além dos rurais, também participaram autoridades políticas, representantes da OAB, Igreja, Instituto Federal de Educação, SinUTE, Caritas Brasileira, Sindicato dos Servidores Públicos Federais e Sindicato dos Servidores da Emater.

Fonte: Fetaemg

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.