Sidebar

18
Qui, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A CTB divulgou nesta terça-feira (14) uma nota de solidariedade à Central dos Trabalhadores de Cuba (CTC) diante das reformas econômicas anunciadas recentemente pelo governo de Raúl Castro. Leia a íntegra abaixo:

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) manifesta seu apoio, solidariedade e confiança à Central dos Trabalhadores de Cuba (CTC) frente às reformas econômicas anunciadas pelo governo de Raúl Castro. Sufocada pelo bloqueio econômico imposto há quase cinco décadas pelos EUA e também pelo excesso de controle e subsídios do Estado, a economia cubana enfrenta grandes dificuldades. A necessidade de mudanças é imperiosa.

O objetivo das medidas que serão implantadas, conforme salienta a CTC em recente pronunciamento, é ”transformar e tornar mais eficiente o processo produtivo” e as relações de trabalho, uma vez que Cuba “enfrenta a urgência de avançar economicamente, organizar melhor a produção, potencializar as reservas de produtividade e elevá-la, melhorar a disciplina e eficácia. Isto só será possível mediante o trabalho digno e consagrado do nosso povo.”

A CTC pondera que o excesso de postos de trabalho da Ilha ultrapassa 1 milhão de pessoas no setores administrativo e empresarial. Cogita-se a demissão de 500 mil trabalhadores do setor estatal e sua imediata realocação para atividades não estatais, ampliando-se a autorização para o empreendedorismo, instalação de pequenas empresas e trabalho por conta própria.

É natural que a notícia desperte preocupações, especialmente aos trabalhadores e trabalhadoras que perderão seus postos de trabalho, mas os trabalhadores dispensados terão ajuda. O governo revolucionário e socialista, representante da classe trabalhadora, fará o possível para garantir a requalificação e realocação da força de trabalho. "Ninguém ficará abandonado à própria sorte", assegurou Raúl Castro.

A nova orientação não significa uma renúncia ao socialismo ou capitulação ao capitalismo, como sugere e pretende a mídia hegemônica, que ecoa os interesses do imperialismo estadunidense. A maior abertura ao mercado tem a função de desenvolver as forças produtivas e ampliar o bem estar da população, porém sem negar o controle público sobre ramos e atividades estratégicas da economia.

Estamos convencidos, junto com a CTC, que a Revolução cubana cumpre 52 anos de vitoriosa existência e, hoje, mais que nunca, estão vivas e irremovíveis na direção da nação e no povo a vontade e a determinação de continuar a construção do socialismo, avançar no desenvolvimento e atualização do modelo econômico que devemos seguir, consolidando as conquistas alcançadas.
A CTB reitera sua solidariedade e confiança na Central dos Trabalhadores de Cuba, na revolução socialista e em seus líderes, bem como o repúdio e a luta contra o imperialismo, o criminoso bloqueio e o neoliberalismo.

Viva Cuba socialista

São Paulo, 14 de setembro de 2010
Nivaldo Santana, presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB)

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.