Sidebar

26
Dom, Maio

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Uma decisão no rumo certo

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) anunciou na noite desta quarta-feira, 30, a decisão de reduzir em 0,5 ponto percentual a taxa básica de juros, adotada por unanimidade. Com isto, a Selic cai de 9% para 8,5% ao ano, o menor patamar desde 1986. É uma medida no caminho certo, que reorienta a política monetária e se soma às iniciativas adotadas pelo governo Dilma para fazer frente aos efeitos da crise mundial do capitalismo e reverter o processo de desaceleração da economia nacional.

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) considera a decisão digna do apoio popular, assim como a ofensiva pela diminuição do spread bancário, que também confronta os interesses da oligarquia financeira. É preciso, porém, avançar mais no sentido de promover mudanças mais ousadas na política econômica para recuperar a capacidade de investimento e crescimento da economia, evitando a estagnação, que já transparece em alguns indicadores sobre o PIB, e contornando a crise internacional, cujo agravamento é notório, especialmente (mas não só) na Europa.

Além de novas reduções nas taxas de juros, em todas suas modalidades, a CTB defende a redução substancial do superávit primário e a alocação dos recursos hoje destinados ao pagamento dos juros da dívida pública para investimentos públicos e atendimento das demandas sociais. É contraproducente cortar gastos públicos em tempo de crise.

A CTB defende igualmente a mudança da política cambial, a centralização do câmbio, o fim do chamado câmbio flutuante e o controle das cotações, hoje exageradamente instáveis em função do “tsunami monetário” provocado pelas políticas monetárias dos EUA e EU, assim como maior taxação e restrições às remessas de lucros e dividendos, principal causa do déficit em conta corrente do balanço de pagamentos.

 

São Paulo, 30 de maio de 2012

Wagner Gomes, presidente da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil)

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.