Sidebar

21
Dom, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O Comitê de Política Econômica do Banco Central acaba de anunciar mais um aumento na taxa de juros básica do país. Nesta quarta-feira (15), após dois dias de reunião, o Copom elevou a Selic para 10,5% ao ano, decisão que consolida o Brasil como o campeão mundial dos juros altos.

Para a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), o sétimo aumento consecutivo da Selic é uma afronta aos interesses do povo brasileiro e de sua classe trabalhadora. Os custos de tal decisão são altíssimos e colocam em xeque o desenvolvimento do país. Cálculos mostram que os credores da dívida pública embolsam cerca de R$ 12 bilhões ao ano a cada 1% de aumento dos juros, ao passo em que setores como Saúde e Educação se veem com orçamentos aquém do que os necessários para atender as demandas do povo brasileiro.

É importante recordar que até abril de 2013 a Selic se encontrava em um patamar mais aceitável (embora ainda elevado), de 7,5% ao ano. Desde então, o Banco Central, com a complacência do governo federal, se dobrou à pressão do mercado financeiro e, reunião após reunião, tem se mantido em perfeita sintonia às demandas dos rentistas.

Diante desse cenário, reforça-se a necessidade de as centrais sindicais se posicionarem de modo unitário perante o governo e a sociedade. É preciso combater de maneira firme e propositiva essa política macroeconômica conservadora, além de exigir a retomada de nossa pauta trabalhista, para que evitemos qualquer tipo de retrocesso no decorrer de 2014.

São Paulo, 15 de janeiro de 2014.
Adilson Araújo
Presidente Nacional da CTB

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.