Sidebar

21
Dom, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

logo_ctbA Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil qualifica como totalmente injustificável o novo aumento da taxa de juros no Brasil, divulgado nesta quarta-feira (20) pelo Banco Central (BC). “Sob qualquer ângulo que se analise essa decisão a população comum, o trabalho assalariado, é quem sofre as piores conseqüências”, disse Wagner Gomes, presidente da CTB.

Sob a pretensa justificativa de diminuir o consumo da população para conter a alta da inflação, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu elevar a taxa básica de juros (a Selic) em 0,25 ponto percentual, para 12% ao ano, o maior nível desde janeiro de 2009, quando era de 12,75%.

A decisão do Copom não foi unânime. A alta de 0,25 ponto recebeu cinco votos, enquanto dois diretores queriam um ajuste de meio ponto. A nota do comitê sobre a decisão foi o seguinte:

"Dando seguimento ao processo de ajuste das condições monetárias, o Copom decidiu elevar a taxa Selic para 12,0% a.a., sem viés, por cinco votos a favor e dois votos pelo aumento da taxa Selic em 0,50 p.p. Considerando o balanço de riscos para a inflação, o ritmo ainda incerto de moderação da atividade doméstica, bem como a complexidade que ora envolve o ambiente internacional, o Comitê entende que, neste momento, a implementação de ajustes das condições monetárias por um período suficientemente prolongado é a estratégia mais adequada para garantir a convergência da inflação para a meta em 2012."

Leia abaixo a nota da CTB sobre o novo aumento dos juros:

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil qualifica como totalmente injustificável o novo aumento da taxa de juros no Brasil. A decisão vai completamente na contramão do projeto de desenvolvimento necessário para o país, além de servir somente aos interesses daqueles que lucram com a especulação.

O Brasil segue com o vergonhoso título de país com a maior taxa de juros real do planeta. Juros altos significam menos empregos, menos investimentos e risco de estagnação. Para a CTB, a medida está em dissonância com o atual momento político-econômico vivido pela sociedade brasileira e coloca em risco o crescimento vislumbrado para 2011 e os próximos anos.

A CTB continuará, ao lado das outras centrais sindicais, a se mobilizar em torno da luta pela redução da taxa de juros brasileira. A política de juros altos foi derrotada nas eleições de 2010 e já é hora de a presidenta Dilma Rousseff tomar o controle desse processo. Estaremos a seu lado nas lutas pelo crescimento e desenvolvimento da nação, mas não nos furtaremos de apontar as contradições de seu governo, em nome dos interesses da classe trabalhadora e do povo brasileiro.

Wagner Gomes
Presidente da CTB Nacional

São Paulo, 20 de abril de 2011


Leia também: Centrais distribuem sardinha em ato em SP pela redução dos juros

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.