Sidebar

21
Ter, Maio

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

di_bc_bacen_ctb_2010Ao promover um novo aumento dos juros básicos da economia (0,5%), o Banco Central mantém o Brasil como um dos detentores das maiores taxas de juros da economia global (10,75%). Uma posição que interfere diretamente no bom momento vivido pela economia brasileira.

O aumento da taxa de juros visa a desacelerar o consumo da economia na mesma medida em que retém o seu crescimento. È o que o se está fazendo. Os tecnocratas da ala conservadora do Banco Central deveriam buscar outras formas de intervenção, como partir para uma ação concreta de estímulos aos investimentos produtivos, mesmo porque o País não caminha para um "superaquecimento da economia".

Essa orientação política e econômica do Banco Central – aumento da taxa de juros básica - contraria a lógica dos números da economia brasileira tendo em vista que os preços estão se comportando sem altas significativas mesmo antes do primeiro aumento da Selic ter ocasionado efeito na atividade produtiva.

Estamos preocupados com a manutenção da taxa Selic ao patamar dos dois dígitos: A decisão do Copom "confirma que o Banco Central espera que a economia brasileira cresça menos do que esperamos. O crescimento excepcional de 9% no Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre não deve orientar as expectativas para o restante do ano, porque os incentivos fiscais, criados para amenizar o impacto da crise internacional sobre a economia brasileira, foram extintos em março e as compras antecipadas da copa do mundo também já se foi”.

Essa política de alta na taxa básica de juros beneficia apenas os banqueiros e só serve para desestimular o investimento produtivo prejudicando as contas públicas. É um balde de água fria na aquecida economia brasileira, que demonstrou recentemente, através do PIB, uma imensa capacidade para o crescimento com geração de emprego e renda. Os tecnocratas do Banco Central torcem contra o crescimento econômico do País e, consequentemente, contra uma política de desenvolvimento nacional que contemple as classes trabalhadoras.

 

Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.