24
Dom, Set

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Inaugurada na quarta-feira (5) com aula do renomado jurista José Carlos Arouca, a Escola Nacional de Formação da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), tem a sua primeira aula na segunda-feira (17).

Com o tema Os Precursores do Movimento Sindical e o Manifesto Comunista como Origem do Direito do Trabalho, os juristas Antônio Renan Arrais e Cláudio Henrique Gouvêa versarão sobre a luta da classe trabalhadora para conquistar “condições humanizadas de trabalho, porque sem resistência não se conquista direitos, porque as classes dominantes se organizam para explorar o trabalho”.

Arrais explica que o Manifesto Comunista, de Karl Marx e Friedrich Engels, publicado originalmente em 21 de fevereiro de 1848, se transformou no principal marco do Direito do Trabalho. “Antes dele as relações de trabalho eram determinadas pelos patrões. O Manifesto é uma espécie de conclamação aos trabalhadores e trabalhadoras para se organizarem para defender seus interesses”.

A aula de Arrais aprofundará a história de como a organização da classe trabalhadora mudou as relações de trabalho no mundo. “A necessidade de se defender da exploração do capital, fez a classe trabalhadora se organizar em sindicatos”.

Faça a inscrição aqui.

Inclusive, conta ele, a Organização Internacional do Trabalho foi criada em 1919, dois anos após a Revolução Russa, que “difundiu pelo mundo as ideias revolucionárias e a possibilidade de construção do socialismo em contraposição ao capitalismo”.

O jurista também se refere à recém-aprovada reforma trabalhista no Brasil. “Essa reforma é a legalização do trabalho precário, deixando trabalhadores e trabalhadoras à mercê dos interesses do patrão. Certamente isso irá provocar muitas questões referentes ao Direito do Trabalho”.

Quem quiser aprofundar o conhecimento sobre o tema, terá que comparecer à primeira aula da Escola Nacional de Formação da CTB, nesta segunda-feira (17), às 19h, na sede do Sindicato dos Oficiais Marceneiros de São Paulo, à rua das Carmelitas, 149, centro, na capital paulista.

Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy