Sidebar

18
Sex, Jan

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A Concepção Classista foi o tema da última aula do curso inaugural da Escola Nacional de Formação da Central dos Trabalhadores e Trabalhadores do Brasil (CTB), ministrada pelo vice-presidente Nivaldo Santana na última segunda-feira (7), em São Paulo.


Escola da CTB: “Não existe justificativa para a reforma trabalhista que não seja atender ao capital"

“Direito Coletivo e Individual do Trabalho, do Manifesto Comunista à atualidade” foi o nome deste módulo composto por quatro aulas temáticas com especialistas de cada área coordenados pela secretária de Formação da central, Celina Arêas.

Em sua aula, Santana explicou o conceito de sindicalismo classista. O vice-presidente fez um histórico desde o surgimento dos sindicatos, as normas internacionais em defesa dos direitos da classe trabalhadora até a recém-aprovada Reforma Trabalhista do governo liderado por Michel Temer que mudará as relações trabalhistas.

Ele denunciou a tentativa de Temer de enfraquecer as entidades sindicais com a proibição da cobrança da contribuição assistencial e o fim do imposto sindical, previsto na reforma.

Diante da atual conjuntura de recessão, o sindicalista alertou que é preciso “retomar o crescimento econômico, emprego, salário e direitos numa agenda positiva contra o golpe”. Para ele, o movimento sindical terá papel fundamental na resistência contra a perda de direitos.

Nivaldo ainda defendeu a criação de uma frente ampla para derrotar este tipo de governo. “ Nos momentos adversos é que vemos quem defende o sindicalismo classista”, finalizou.

Portal CTB 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.