Sidebar

18
Sex, Jan

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Dificilmente encontraremos um dirigente sindical que diga abertamente que formação sindical não é importante . Quase todos afirmam , com toda ênfase, que os sindicalistas precisam participar do processo de formação, envolvendo desde as questões técnicas para a gestão sindical até as questões mais diretamente políticas. No entanto, quando observamos qual é o percentual de recursos financeiros  que a entidade destina à formação, geralmente é muito pequeno em relação a muitas outras atividades que a entidade promove. Assim, o que podemos afirmar , em geral, é que o discurso não tem correspondido à prática.

No entanto, tenho também observado que algumas entidad es têm buscado, com maior intensidade, realizar cursos, seminários, palestras, planejar estrategicamente suas ações e organizar departamentos que cuidem especificamente do processo de formação. Penso que se trata de uma tendência decorrente da necessidade, que o movimento sindical tem,de enfrentar os grandes desafios provenientes do avanço do neoliberalismo , da reestruturação produtiva e das novas técnicas gerenciais. E como enfrentar sem conhecer mais profudamente todo o mecanismo de exploração montado pelo sistema capitalista? Como enfrentar as profundas mudanças que atingem fortemente a materialidade e a subjetividade da classe ? Esses desafios constantes impõem aos dirigentes sindicais, se quiserem ser bem sucedidos, a necessidade da reflexão, do estudo, dos debates, da participação em cursos, de atuar de forma planejada.

Por outro lado, na medida que cresce a demanda por atividades de formação, cresce também a necessidade de termos formadores com condições adequadas para transmitir conhecimentos históricos, econômicos, políticos, e sociológicos . Por isso , o Centro de Estudos Sindicais-CES presidido por Gilda Almeida e a Secretaria de Formação e Cultura da CTB coordenada por Celina Areas realizaram, em janeiro de 2009, o 1º Curso Nacional de Formação de Formadores. Durante 5 dias, 35 sindicalistas, de 14 Estados brasileiros  -  a maioria deles indicada pelas CTBs Estaduais  -  estiveram reunidos em Itapecerica da Serra -SP - para se capacitarem a ministrar aulas em cursos de formação a serem realizados pelo Brasil afora. 

As CTBs Estaduais indicaram companheiros e companheiras capacitados e com o compromisso de assumir a responsabilidade da condução de aulas, principalmente em seus respectivos Estados. Trata-se de uma experiência piloto que inclui, por uma lado, metodologia e técnicas pedagógicas, e por outro, conteúdos relativos a temas fundamentais, tais como Transformações no Mundo do Trabalho apresentado pelo Jornalista Altamiro Borges e Método Dialético e Análise da Realidade desenvolvido pela Professora Madalena Guasco. Em relação às técnicas pedagógicas, três professores , com larga experiência na profissão, foram os responsáveis pelas aulas: Roselene dos Anjos discorreu sobre análise de textos e seqüência didática, Liliana Lima sobre dinâmica de grupo e Arnaldo Lemos Filho sobre a utilização de filmes em sala de aula. Todos os participantes do curso participaram de reuniões de grupo com o objetivo de elaborar uma sequência didática que, posteriormente ,foi apresentada para todos, com posterior debate.

No final do curso, realizou-se uma reunião com todos os participantes e , cada um deles, se responsabilizou pelo estudo de temas  que compõem o currículo básico do CES. Esses temas são: Origem e Papel dos Sindicatos e História do Movimento Sindical Brasileiro, Concepções Sindicais, Transformações no Mu ndo do Trabalho e Análise de Conjuntura:como fazer. O convênio CES - CTb prevê para o primeiro semestre desse ano, a realização de cursos, em vários Estados, cuja programação inclui os temas referidos. Já, para esses cursos, contaremos, na condição de formador, com alguns dos participantes do 1º Curso Nacional de Formação de Formadores. A necessidade de multiplicar o número de formadores é um indicador importante do crescimento da importância da formação, na consciência e prática dos dirigentes sindicais. 

Através de um grupo virtual, continuamos o processo de comunicação entre os participantes do curso. Pretendemos que essa continuidade se estenda por muito tempo para que as experiências, as pesquisas, os estudos, as avaliações  dos cursos ministrados sejam compartilhadas entre todos os participantes.Há, entre os participantes do curso , o firme propósito de, daqui a um ano, realizarmos o 2º Curso Nacional de Formação de Formado res !


Augusto César Petta é professor, coordenador-técnico do Centro de Estudos Sindicais - CES e membro da Comissão Sindical Nacional do PCdoB.

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.