Sidebar

18
Sex, Jan

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Celina Arêas e Carolina Ruy mostram o acervo da Memória Viva da CTB

Inaugurado há um ano, o projeto Memória Viva: história de luta da classe trabalhadora da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil já conta com um acervo respeitável, como explica a coordenadora dos trabalhos, Carolina Maria Ruy, que cuida do Centro de Memória Sindical, com sede em São Paulo.

Na inauguração, o presidente da central, Adilson Araújo falou que esse será o “Louvre Sindical” (leia aqui), numa referência ao importante Museu do Louvre, em Paris, França, para mostrar a exata importância em registrar a história da classe trabalhadora no Brasil.

Neste fim de ano, “os trabalhos de organização ficarão paralisados porque a CTB está de mudança para casa nova, sua sede própria. Portanto, contará com um novo espaço onde a história da nossa central e do movimento sindical ficarão disponíveis para estudiosos”, afirma Celina Arêas, secretária de Formação e Cultura da CTB.

memoria viva carolina maria ruy credito marcos aurelio ruy

Ela explica que o Memória Viva faz parte das determinações do último congresso da CTB em 2013. “O projeto avançou muito em um ano, mas para ficar completo necessitamos que as CTBs estaduais nos enviem material. Queremos ter no nosso acervo a história do movimento sindical de todo o país”.

Os trabalhos serão retomados assim que a central estiver instalada em sua nova sede, também na capital paulista. E desta vez fora do pesado aluguel. "Nós contamos com a colaboração de todas as estaduais para podermos criar um centro de memória compatível com o tamanho e a importância da CTB", conclui Arêas.

Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy (texto e fotos)

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.