Sidebar

18
Sex, Jan

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

formacao2A CTB, por meio de sua Secretaria de Formação e Cultura, promoveu nos dias 9 e 10 de novembro o 1º Seminário de Formação Sindical, com o apoio do Centro de Estudos Sindicais (CES).

Cerca de 60 dirigentes sindicais de todo o Brasil passaram pela sede da CTB, em São Paulo, para acompanhar o Seminário. Para Celina Arêas, secretária de Formação e Cultura da Central, a iniciativa alcançou todos os seus propósitos iniciais.

“O Seminário foi realmente vitorioso, com a participação de sindicalistas de 17 estados. Discutimos com profundidade sobre as principais formas de incentivar a formação e a cultura e, nesse sentido, ficou muito claro que essas são prioridades da CTB”, afirmou a dirigente.

“Durante esses dois dias nós vimos, por meio de todas as intervenções e exposições, que é por meio da formação continuada que se molda a consciência crítica e política da classe trabalhadora”, ressaltou Celina.

Nivaldo Santana, vice-presidente da CTB, acompanhou o Seminário e destacou a importância de sua realização, especialmente em meio ao atual cenário político. “Se Serra tivesse vencido as eleições, o ambiente aqui hoje seria mais difícil. Estaríamos pensando, antes de qualquer coisa, em como lidar com a nova realidade”, lembrou, antes de dizer que as centrais sindicais terão papel fundamental no governo de Dilma Rousseff, em discussões como a política do Salário Mínimo, por exemplo.

Palestrantes

No primeiro dia, as exposições do seminário ficaram por conta da professora Nereide Saviani, que falou sobre “A importância da formação sindical para uma central sindical”, e do secretário de Formação da Contag, Juraci Moreira Souto, que falou sobre a experiência da Escola de Formação de sua entidade.

Ambos destacaram a iniciativa da CTB e disseram que a Central está no caminho certo, ao promover encontros dessa natureza. A professora, que também é diretora da Escola Nacional do PCdoB, lembrou que a formação continuada para sindicalistas precisa deixar claro o caráter classista desse processo.

“A burguesia tem sua formação, que é baseada, obviamente, em seus interesses. É preciso, portanto, que nos apropriemos de certos elementos culturais que tem sido exclusivos da outra classe. Precisamos de uma formação baseada em nossos interesses”, sustentou Nereide.

No segundo dia, Célio Turino, ex-secretário do Ministério da Cultura, falou sobre a importância justamente da cultura para a classe trabalhadora, enquanto Renan Arraes, assessor jurídico da CTB, expôs seus pontos de vista sobre o papel do departamento jurídico em uma central sindical.

Encaminhamentos

Como resultado dos dois de seminário, Celina Arêas disse que as propostas e sugestões apresentadas serão organizadas nas próximas semanas, com a finalidade de formular um projeto para sua Secretaria.

“Nossa ideia será apresentar esse projeto para toda a diretoria no começo de dezembro, quando será realizada a próxima reunião da Direção Plena. Pretendemos que ao longo de 2011 nós possamos colocar essas ideias em práticas”, explicou Celina.

Lançamento

O 1º Seminário de Formação Sindical da CTB também foi palco de um lançamento literário. Após o primeiro dia de debates, Jocelin de Lima Bezerra exibiu sua obra "Anomia do professor - Reflexões para um diagnóstico na experiência sócio-educacional na cidade de Parnamirim (RN).

No livro, Celino, como é conhecido o autor e presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Parnamirim, discute o comportamento estático dos professores em relação à qualidade do ensino, condições de trabalho, questões salarias e formação profissional.

Fernando Damasceno – Portal CTB

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.