Sidebar

26
Qua, Jun

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O Portal CTB apresentou no mês de outubro de 2016 um expressivo crescimento em termos gerais de audiência. O número de páginas visualizadas quebrou pela primeira vez a casa do milhão, atingindo 1.267.385 acessos ao longo de 31 dias. Mês a mês, a alta foi de 68,9% em comparação a setembro.

A tendência dos números revela uma aceleração no alcance da CTB pela Internet, que entre janeiro e outubro deste ano transmitiu 5,5 milhões de páginas para os trabalhadores brasileiros. Em comparação a 2015, quando o acesso global chegou a 2,6 milhões, o aumento chegou a 104% - e isso não conta as audiências de novembro e dezembro.

O número de visitantes únicos do site seguiu uma curva diferente, mas igualmente reveladora. Embora o número de acessos tenha dobrado ao longo do ano, o número de visitantes cresceu 760% no mesmo período, atingindo 2,3 milhões de pessoas diferentes em 10 meses. Isso revela uma ampliação nos perfis com os quais a CTB dialoga pelas redes. 

CTB visitantes 2016 out

Desde o início do ano, o Portal CTB expandiu sua cobertura jornalística para além das pautas estritamente sindicais, abrangendo conteúdos que vão da cultura à ciência e tecnologia. O crescimento mais pronunciado se deu em torno das pautas políticas, com alguns textos atingindo centenas de milhares de acessos em períodos de grande enfrentamento em Brasília. Ao final desta matéria, está a lista com as cinco reportagens mais lidas do ano.

Consequência da ebulição política

Na divisão mensal, percebe-se com clareza que o impeachment da presidenta Dilma Rousseff definiram as ondas de interesse público em torno da discussão trabalhista em 2016. O primeiro grande pico, em abril, corresponde ao período em que Dilma enfrentou o primeiro estágio de seu afastamento, conduzido por Eduardo Cunha sob um espetáculo midiático. O segundo grande momento se deu nos dias anteriores a seu afastamento definitivo, em agosto. O maior pico, em outubro, se deu num contexto em que as consequências do golpe de Estado de Michel Temer começaram a ficar evidentes.

A intensa preocupação com o futuro das políticas inclusivas dos governos do PT se refletem diretamente no número de interações com o público, culminando em audiência quase dobrada em comparação ao mês anterior.

Diante de tudo isso, a CTB teve em 2016 uma experiência fantástica no ranking mundial de sites. Dentro do quadro global de tráfego na Internet, como estruturado pela agência Alexa, a CTB cresceu 308 mil posições apenas no último trimestre, atingindo a segundo posição entre as centrais brasileiras. No ranking brasileiro, o Portal CTB passou à posição 21.677 - dezenas de milhares de posições acima do ano passado.

A luta continua. A Central que mais cresce no Brasil é agora também a Central que mais cresce na Internet!

Os textos mais lidos do ano, até agora, foram:

  1. Desaprovado: 80% dos brasileiros rejeitam PEC 241 e reforma da Previdência de Michel Temer
  2. Está ficando impossível fingir que o Brasil não vive um Estado de Exceção
  3. "Somos contra a PEC 241. Não tem sentido reduzir recursos para saúde", diz Drauzio Varella
  4. Para juíza de Santa Catarina, fazenda flagrada com escravos fez um “benefício à sociedade”
  5. PEC do Fim do Mundo agora é número 55 e Senado abre consulta pública. Vote contra!

Portal CTB

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.