22
Dom, Out

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Neste mês, em referência ao Dia Nacional da Juventude, celebrado em 12 de agosto, a CTB Bahia promove atividades voltadas para os jovens, que integram a Jornada de Luta de Agosto.

CTB Bahia promove 1º Encontro da Juventude Trabalhadora de Irecê neste sábado (12)

O primeiro evento é o 1º Encontro da Juventude Trabalhadora da Região de Irecê, que acontece neste sábado (12), à tarde, no Secir (Sindicato dos Empregados em Comércio), em Irecê.

No dia 17, será realizado um ato na Praça da Inglaterra, no bairro do Comércio, pela manhã. No dia 29, haverá grande ato com passeata, no centro da cidade, com participação de diversas entidades.

Os eventos visam mobilizar a juventude e destacar a importância de seu papel político nos movimentos sindicais e sociais. A intenção é, com as atividades, ocupar as ruas, universidades, o campo e a cidade, pela defesa da democracia e de direitos já conquistados.

Para o secretário da Juventude da CTB Bahia, Alfredo Santiago, os jovens têm muitos motivos para protestar. A política exclusória e de desmonte do Estado promovida pelo governo Temer congelou os investimentos nas áreas sociais pelos próximos 20 anos, o que ataca diretamente a juventude.

Além disso, são cada vez mais alarmantes os índices de violência contra a juventude da periferia, sobretudo negros e negras. Ao mesmo tempo em que o desemprego e a falta de perspectiva para os jovens são cada vez maiores.

Nesse cenário, somente a soberania, a democracia popular e a luta organizada poderão reverter a situação. “Com o ímpeto juvenil, é possível reforçar a combatividade das nossas lutas, criar os organismos de base, a exemplo das greves dos trabalhadores, e fortalecer a mobilização já em curso pelo movimento social”, destaca.

Em sua avaliação, a juventude está sendo, mais uma vez, convocada para defender a democracia e a soberania com desenvolvimento social. “A juventude tem se mobilizar contra a reforma trabalhista, que visa explorar e precarizar a mão de obra juvenil, assim como a da previdência, que irá dificultar a inserção dos jovens no mercado de trabalho. Além disso, há a ameaça às universidades públicas, ao Pronatec, FIES, entre outros benefícios conquistados”, afirma Santiago.

CTB Bahia

Em protesto contra nova lei trabalhista, movimento sindical prepara ato nacional     10 de novembro