Sidebar

16
Ter, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times
Não há lugar seguro para crianças e famílias na região, diz representante. Agências tentam levar água potável, medicamentos e comida ao território.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) informou nesta terça-feira (14) que, até o dia anterior, pelo menos 275 crianças e 85 mulheres haviam morrido vítimas dos ataques de Israel a Gaza.

Já segundo o chefe dos serviços de emergência de Gaza, Muawiya Hassanein, desde o início da ofensiva, em 27 de dezembro de 2008, 919 palestinos já morreram, incluindo 277 crianças, 97 mulheres e 92 idosos. Os ataques deixaram ainda 4.100 palestinos feridos. Do lado de Israel, são 14 mortos - 4 civis alvejados por foguetes em Israel e 10 militares mortos em confrontos.

A representante do Unicef nos Territórios Palestinos, Patricia McPhillips, disse que não há nenhum lugar seguro para as crianças e suas famílias na região de Gaza.

O Unicef e outras agências da ONU têm tentado entregar água potável, medicamentos e comida durante a suspensão diária dos bombardeios, por três horas, declarada por Israel.

Mas segundo a Agência da ONU de Assistência aos Refugiados Palestinos, o tempo não é suficiente para fornecer toda a ajuda necessária.

No domingo, o Unicef conseguiu passar 30 mil garrafas de água da Cisjordânia para Gaza. Foram entregues ainda 500 mil kits família para purificação de água.

G1

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.