Sidebar

15
Seg, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times
Além de reduzir progressivamente a remuneração de seus trabalhadores de forma geral com o alto índice de rotatividade, os bancos estão reforçando a discriminação contra as mulheres, pagando às bancárias que estão sendo contratadas salários inferiores aos dos homens. É o que mostra a pesquisa sobre emprego e desemprego que o Dieese divulgou na terça-feira 16, com base nos dados que as instituições financeiras fornecem ao Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. Veja a pesquisa completa aqui.

O salário médio das mulheres contratadas pelos bancos no primeiro trimestre de 2009 foi de R$ 1.535,34, enquanto a remuneração média dos homens admitidos no mesmo período chegou a R$ 2.022,56 - uma diferença de 24,09% em prejuízo das bancárias. Além disso, houve uma redução de 11,2% no salário médio das mulheres contratadas este ano em relação ao primeiro trimestre de 2008, quando esse valor foi de R$ 1.729,37 (veja nas tabelas).

Primeiro trimestre de 2009 - Remuneração média

Primeiro trimestre de 2009 - Remuneração média

  Homens Mulheres

Diferença de remuneração

Admitidos (em R$) 2.022,56 1.535,34 - 24,09%
Desligados (em R$) 4.660,10 3.086,61 - 33,77%


Primeiro trimestre de 2008 - Remuneração média
  Homens Mulheres

Diferença de remuneração

Admitidos (em R$) 2.379,95 1.729,37 - 27,34%
Desligados (em R$) 3.645,15 2.602,33 -28,61%

Contraf
0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.