Sidebar

25
Sáb, Maio

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Para debater os impactos das reformas pretendidas pelo governo ilegítimo de Michel Temer, a Comissão Nacional de Mulheres Trabalhadoras Rurais da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) esteve reunida nesta quinta-feira (25), em Brasília.

“Foi muito bom participar da reunião com as trabalhadoras rurais porque o debate ocorre em um patamar elevado e certamente empodera as mulheres para enfrentar o machismo e a violência”, diz Ivânia Pereira, secretária da Mulher Trabalhadora da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

Já Maria José Moraes, a Mazé, secretária a Mulher da Contag, afirma ter sido muito importante essa primeira reunião desta nova gestão para averiguar o que está “afetando diretamente a vida das mulheres do campo”.

De acordo com ela, as trabalhadoras rurais são as que mais sentem os prejuízos das reformas trabalhista e da previdência. “Já temos uma jornada de trabalho muito extensa e com essas reformas a situação ficará ainda pior, porque trabalhamos de sol a sol em condições precárias”.

Além do mais, reforça Mazé, “as trabalhadoras rurais vão para a roça bem cedinho, voltam ao anoitecer e têm que cuidar dos filhos e da casa, com isso não têm tempo para cuidar de si mesmas e ainda somos expostas ao sol diariamente, sem proteção e sofremos os efeitos dos agrotóxicos, o que nos causa problemas sérios de saúde”.

Pereira acredita que a reunião de trabalhadoras rurais de todos os cantos do país trouxe uma “nova perspectiva de avanços na organização das mulheres do campo, que unidas prometem muita luta para conquistar a paridade no mundo do trabalho e a igualdade de direitos na vida”.

Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.