Sidebar

15
Seg, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Saiu publicado no Diário Oficial da União desta quinta-feira (2) o novo calendário para a 4ª Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres (4ª CNPM). A conferência ocorrerá entre os dias 10 e 13 de maio em Brasília, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães.

Segundo Ivânia Pereira, secretária da Mulher Trabalhadora da CTB, o adiamento ocorreu porque quatro estados ainda não realizaram suas conferências estaduais e a Comissão Organizadora do evento achou por bem mudar a data.

Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins realizarão suas conferências ainda em fevereiro. São Paulo nos dias 15 e 16, Tocantins em 16 e 17, Sergipe fará no dia 17 e Santa Catarina entre 23 e 25. Anteriormente a Conferência Nacional seria em março.

No entanto, o tema continua sendo Mais Direitos, Participação e Poder para as Mulheres. Dividido em quatro eixos temáticos: 1- “Contribuição dos conselhos dos direitos da mulher e dos movimentos feministas e de mulheres para a efetivação da igualdade de direitos e oportunidades”; 2 - “Estruturas institucionais e políticas públicas desenvolvidas para as mulheres no âmbito municipal, estadual e federal: avanços e desafios”; 3 - “Sistema político com participação das mulheres e igualdade”; e 4 - “Sistema Nacional de Políticas para as Mulheres”.

As organizadoras esperam a presença de 3 mil mulheres de todos os cantos do país para que a conferência tenha ainda mais força do que nos anos anteriores. Também serão convidadas 120 pessoas nacionais e internacionais. A presidenta Dilma Rousseff deverá comparecer.

Ivânia diz que será feito um balanço do Plano Nacional de Políticas para as Mulheres e o que “precisa ser alterado para avançarmos nas questões referentes aos direitos de as mulheres terem mais autonomia e poder viver sem medo”.

A organização informa que 2,2 mil municípios já realizaram suas conferências municipais, todas as capitais já realizaram. “Caminhamos para realizar a conferência num contexto de projetos no Congresso Nacional que retiraram conquistas importantes das mulheres”, afirma Ivânia.

Segundo ela, haverá inclusive uma grande mesa com a presença de parlamentares da bancada feminina, onde esses temas estarão em pauta. “A nossa luta é para termos mais mulheres no poder como forma de conquistarmos a igualdade de direitos”.

Consultas

Entre os dias 1º, 2 e 3 de março, acontecerá em Brasília, as Consultas Nacionais das Mulheres com Deficiência, das Ciganas e das Indígenas. “A diversidade das mulheres brasileiras precisa estar representada na 4ª Conferência Nacional de Políticas para Mulheres, o que significa garantir visibilidade e voz à pluralidade de segmentos, grupos e etnias de mulheres brasileiras”, diz Rosali Scalabrin, coordenadora da 4ª CNPM.

zika vírus

A secretária Especial de Políticas para as Mulheres do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, Eleonora Menicucci, defende a necessidade de se debater as doenças causadas pelo mosquito aedes aegypt.

“Precisamos debater o tema durante as etapas estaduais restantes para envolver as participantes das conferências na mobilização da população sobre a necessidade de combater o mosquito aedes”, explica Eleonora.

Marcos Aurélio Ruy – Portal CTB com informações da Secretaria de Políticas para as Mulheres

Foto: Valcir Araújo

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.