Sidebar

19
Sex, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A Terceira Marcha das Mulheres Negras aconteceu neste domingo (30), na orla da Praia de Copacabana, e reuniu cerca de 5 mil pessoas. As manifestantes defenderam os direitos das mulheres negras como educação, saúde, paz e segurança. Diversos diretoras e diretores da CTB RJ, como a Secretária da Mulher Trabalhadora Kátia Branco, a Secretária Nacional de Igualdade Racial Mônica Custódio, o Secretário de Formação e Cultura Thiago Rios, a diretora Célia e outros dirigentes, estiveram presentes atuando em unidade nessa importante atividade. Afirmou a dirigente cetebista Celia Almeida:

“A CTB RJ considera que a Marcha das Mulheres Negras deu visibilidade dessas guerreiras. Vários sindicatos cetebistas se fizeram presentes, entre eles Correios, Sintuperj, Auxiliares de Enfermagem, Comerciários e tantos outros. As mulheres do campo, as Quilombolas de Campos, também tiveram presença expressiva na marcha. Nossas entidades irmãs, como a UNEGRO e a UBM também estiveram presentes.”

A marcha celebra o Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, cuja data oficial é 25 de julho, e os dez anos da Lei 5071/2007, que instituiu a data no calendário oficial do estado do Rio de Janeiro. Carol Bandeira, do Sindicato dos Correios do Rio de Janeiro (Sintect-RJ), analisa:

“A avaliação é positiva. A CTB e sua militância estiveram presentes. As mulheres negras marcharam ao lado dos movimentos sociais e sindicatos com palavras de ordem contra o racismo, contra a violência contra as mulheres, por igualdade de gênero e raça, contra as reformas trabalhista e previdenciária, e contra esse governo golpista que desde que assumiu acabou com secretarias importantes para as mulheres. Temos a missão de lutar por nenhum direito a menos e ampliar nossa presença em todos os espaços. A CTB e o Sintect-RJ estarão sempre presentes nas lutas e nos atos pelos direitos das mulheres.”

Entre as pautas da manifestação estavam as posições contrárias às reformas trabalhista e da Previdência, assim como toda gama de retrocessos apresentados pelo governo golpista de Michel Temer. A Secretária da Mulher Trabalhadora da CTB-RJ, Kátia Branco, falou sobre essas pautas:

“É claro que essa atividade tem foco específico na luta das mulheres negras e em toda a opressão que elas vivem, mas não havia como não se manifestar também contra essas reformas que são muito duras com as mulheres e, mais duras ainda com as mulheres negras. Com as reformas de Temer, as mulheres negras vão ver seus postos de trabalho piorarem e a desigualdade crescer cada vez mais.”

A programação da marcha incluiu, no fim da caminhada, no bairro do Leme, uma feira de artesanato para divulgação de trabalhos realizados por mulheres negras.

Da CTB-RJ

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.