Sidebar

13
Ter, Nov

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O substitutivo do relator da comissão especial do projeto Escola sem partido, deputado Flávio Augusto da Silva (PSC-SP), estava na pauta da Câmara dos Deputados nesta terça-feira (31), mas a sessão foi encerrada e a votação adiada.

O presidente da comissão, Marcos Rogério (DEM-RO) disse que encerrou a sessão por causa do início da ordem do dia no plenário principal e que não conseguiu acordo com a oposição para votar o projeto sem obstrução. No entanto, ele garantiu que pautará o projeto na semana que vem.

As manifestações contra a Escola sem partido novamente ganham as redes e as ruas para “impedir que a educação seja tratada como caso de polícia e sem nenhum respeito aos profissionais e aos estudantes”, afirma Marilene Betros, secretária de Políticas Educacionais da CTB.

A deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) afirmou na comissão que a oposição não vai “aceitar que o professor seja monitorado por câmeras, por canais clandestinos, queremos que o estatuto do magistério seja cumprido e que a educação na sua natureza laica, seguindo as regras nacionais seja realizada na sala de aula”.  

Leia mais

Querem aprovar a toque de caixa o projeto Escola sem partido: o Brasil vai virar fundamentalista?

Portal CTB. Foto: Cleia Vianna/Câmara dos Deputados

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.